Histórico

A Pubvet iniciou suas atividades em Londrina, Paraná, em setembro de 2007. À epoca, a fundadora da revista trabalhava como pesquisadora no setor agropecuário. A partir do contato com a prática diária em propriedades rurais, percebeu que havia uma distância entre a publicação de resultados científicos, produzidos no meio acadêmico, e a realidade profissional agropecuária.

Observou que faltavam informações básicas sobre inovações no trabalho de campo, mesmo naquelas propriedades que recebiam assistência técnica. Assim, os próprios técnicos, muitas vezes, não estavam informados sobre os resultados de pesquisas científicas em suas áreas. Diante desse quadro, surgiu a seguinte indagação: por que este contraste tão grande entre as campo e academia?

Àquele momento, muitos trabalhos científicos eram desenvolvidos, porém poucos eram divulgados de forma ampla. Investia-se em pesquisas, no entanto a divulgação dos resultados era limitada. Havia publicação na forma de artigos científcos, mas o profissional que atuava no campo muitas vezes não tinha acesso a este material, seja pela ineficiência da divulgação ou pelo alto custo do acesso, considerando os periódicos pagos.

No intuito de comunicar de forma direta e acessível esses dois pólos, academia e campo, surgiu a Pubvet. Tão logo começaram as atividades, o que mais impressionava os editores era a receptividade dos pesquisadores e o desejo deles de divulgar os resultados que obtinham. Em poucos meses, muitos artigos foram recebidos, de forma que foram publicadas, já no início, edições semanais. Talvez, a inquietação sentida por Fernanda, fundadora da revista, também estivesse presente em muitos outros pesquisadores. Daí o sucesso da Pubvet.

Hoje, ela tem orgulho em saber que o objetivo inicial foi alcançado. O número de acessos aos artigos é grande, indicando que os resultados das pesquisas espalham-se pelos profissionais que atuam na prática.

A Pubvet possibilitou que muitos profissionais atuantes, por exemplo, no interior do país, muitas vezes sem acesso a bibliotecas ou instituições de ensino, pudessem tomar conhecimento de importantes resultados gerados no meio acadêmico. Com estas informações, profissionais conseguem transformar suas realidades, promovendo uma melhoria na qualidade de vida da comunidade.

Em 2014, a revista iniciou sua segunda etapa. Um novo grupo gestor, localizado em Maringá, também no Paraná, assumiu a editoração da Pubvet, trazendo vários avanços técnicos e editoriais, todavia mantendo o princípio que motivou a fundação do periódico: comunicar, de forma direta e eficiente, campo e academia.


Política Editorial

A Revista PUBVET tem como filosofia editorial a publicação científica revisada por pares, em acesso aberto, sob diversos formatos. Entre estes, são publicados mensalmente textos completos para artigos, revisões de literatura, notas técnicas, relatos de casos e editorias nas grandes áreas de Medicina veterinária e Zootecnia. Os temas aceitos enquadram o agronegócio, ecoturismo, produção animal (convencional e sustentável), tecnologia de alimentos e seus derivados, medicina veterinária, sanidade animal, saúde humana, entre outros relevantes para o atual debate científico, visando à aproximação entre a pesquisa científica e os professionais do campo.

Os trabalhos enviados à publicação na PUBVET devem respeitar o meio-ambiente e a ética na produção e intervenção medicinal na manipulação dos animais. Ainda, a filosofia editorial da revista respeita as diferentes etnias, crenças, credos, sem discriminação das atividades dos interessados em publicar na revista.

Os dados, resultados, discussões, opiniões dos trabalhos apresentados na revista são de inteira responsabilidade dos autores.

 


Instruções aos Autores

Instruções ao autores para a revista PUBVET (Publicações Veterinárias e Zootecnia)

 

I. Modelo de apresentação de artigo (Final do texto download).

II. Relato de Caso

III.  Revisão de Literatura

 

I. MODELO DE APRESENTAÇÃO DE ARTIGO ORIGINAL


O título (Fonte Times New Roman, estilo negrito, tamanho 16, somente a primeira letra da sentença em maiúscula, o mais breve possível- máximo 15 palavras)

José Antônio da Silva1, Carlos Augusto da Fonseca2*, ...
Nomes de autores (ex., José Antônio da Silva1). Todos com a primeira letra maiúscula e o símbolo 1, 2, 3,... sobrescrito.

1Professor da Universidade Federal do Paraná, Departamento de Zootecnia. Curitiba –PR Brasil. E-mail:contato@pubvet.com.br
2Pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Cidade, Estado e País – email:exemplo@pubvet.com.br
*Autor para correspondência
Afiliações. Filiações dos autores devem estar logo abaixo dos nomes dos autores usando o símbolo 1, 2, 3,... sobrescrito e o símbolo * para o autor de correspondência. Universidade Federal do Paraná, incluindo departamento (Departamento de Zootecnia), cidade (Curitiba), estado (Paraná) e país (Brasil). Todos com a primeira letra maiúscula e e-mail eletrônico.

RESUMO. A palavra resumo em maiúsculo e negrito. Fonte New Times Roman, Tamanho 11, Parágrafo justificado com recuo de 1cm na direita e na esquerda e espaçamento de 6 pt antes e depois. O resumo consiste não mais que 2.500 caracteres (caracteres com espaços) em um parágrafo único, com resultados em forma breve e compreensiva, começando com objetivos e terminando com uma conclusão, sem referências citadas. Abreviaturas no resumo devem ser definidas na primeira utilização.

Palavras chave: ordem alfabética, minúsculo, vírgula, sem ponto final

Título em inglês

ABSTRACT. Resumo em inglês. A palavra abstract em maiúsculo e negrito.

Key words: Tradução literária do português

Título em espanhol

RESUMEN. Resumo em espanhol. A palavra resumen em maiúsculo e negrito.

Palabras clave: Tradução literária do português

Introdução
A palavra introdução deve estar em negrito e sem recuo. A introdução não deve exceder 2.000 caracteres (caracteres com espaço) e justifica brevemente a pesquisa, especifica a hipótese a ser testada e os objetivos. Uma extensa discussão da literatura relevante deve ser incluída na discussão.

Material e Métodos
É necessária uma descrição clara ou uma referência específica original para todos os procedimentos biológico, analítico e estatístico. Todas as modificações de procedimentos devem ser explicadas. Dieta, dados de atividades experimentais se apropriado, animais (raça, sexo, idade, peso corporal, e condição corporal [exemplo, com ou sem restrição de alimentação a água]), técnicas cirúrgicas, medidas e modelos estatísticos devem ser descritos clara e completamente. Informação do fabricante deve ser fornecida na primeira menção da cada produto do proprietário utilizado na pesquisa (para detalhes, ver Produto Comercial). Devem ser usados os métodos estatísticos apropriados, embora a biologia deva ser usada. Os métodos estatísticos comumente utilizados na ciência animal não precisam ser descritos em detalhes, mas as adequadas referências devem ser fornecidas. O modelo estatístico, classe, blocos e a unidade experimental devem ser designados.

Resultados e Discussão
Na PUBVET os autores têm a opção de combinar os resultados e discussão em uma única seção.

Resultados
Os resultados são representados na forma de tabela ou figuras quando possível. O texto deve explicar ou elaborar sobre os dados tabulados, mas números não devem ser repetidos no texto. Dados suficientes, todos com algum índice de variação incluso (incluindo nível significância, ou seja, P-valor), devem ser apresentados para permitir aos leitores interpretar os resultados do experimento. Assim, o P-valor (exemplo, P =0.042 ou P < 0.05) pode ser apresentado, permitindo desse modo que os leitores decidam o que rejeitar. Outra probabilidade (alfa) os níveis podem ser discutidos se devidamente qualificado para que o leitor não seja induzido ao erro (exemplo as tendências nos dados).

Discussão
A discussão deve interpretar os resultados claramente e concisa em termo de mecanismos biológicos e significância e também deve integrar os resultados da pesquisa como o corpo de literatura publicado anteriormente para proporcionar ao leitor base para que possa aceitar ou rejeitar as hipóteses testadas. A seção de discussão independente não deve referi-se nenhum número ou tabela nem deve incluir o P- valor (a menos que cite o P-valor de outro trabalho). A discussão deve ser consistente com os dados da pesquisa.

Tabelas e figuras
Tabelas e figuras devem ser incluídas no corpo do texto. Abreviaturas devem ser definidas (ou redefinida) em cada tabela e figura. As tabelas devem ser criadas usando o recurso de tabelas no Word MS. Consultar uma edição recente daPUBVETpara exemplos de construção de tabela. Quando possível as tabelas devem ser organizadas para caberem em toda a página (exemplo, retrato layout) sem ultrapassar as laterais da borda (exemplo, paisagem). Cada coluna deve ter um cabeçalho (exemplo, item, ingrediente, marca, ácidos graxos). As unidades devem ser separadas cabeçalhos por uma vírgula ao invés de ser mostrado em parênteses. Limitar o campo de dados ao mínimo necessário para a comparação significativa dentro da precisão dos métodos. No corpo das referências da tabela para as notas de rodapé devem ser numerais. Cada nota deve começar em uma nova linha. Para indicar diferenças significativas entre as médias dentro de uma linha ou coluna são usadas letras maiúscula sobrescritas.

Abreviaturas
Abreviaturas no texto devem ser definidas no primeiro uso. Os autores devem usar o padrão das abreviaturas internacionais de elementos. Abreviaturas definidas pelo autor devem sempre ser usadas exceto para começar uma frase. A abreviação definida pelo autor precisa ser redefinida no resumo o primeiro uso no corpo do artigo, em cada tabela, e em cada figura.

Citações no texto
No corpo do manuscrito, os autores referem-se da seguinte forma: (Ferraz & Felício, 2010) ou Ferraz & Felício (2010). Se a estrutura da frase exige que os nomes dos autores sejam incluídos entre parênteses, o formato correto é (Ferraz & Felício, 2012a, b). Quando há mais de 2 autores no artigo o primeiro nome do autor é entre parênteses pela abreviação et. al. (Moreira et al., 2004). Os artigos listados na mesma frase ou parênteses devem estar primeiro em ordem cronológica e ordem alfabética para 2 publicações no mesmo ano. Livros (Van Soest, 1994, AOAC, 2005) e capítulos de livros (Prado & Moreira, 2004) podem ser citados. Todavia, trabalhos publicados em anais, cds, congressos, revistas de vulgarização, dissertações e teses devem ser evitados.

Referências bibliográficas

1. Artigos de revista

Ferraz, J. B. S. & Felício, P. E. 2010. Production systems – An example from Brazil. Meat Science, 84, 238-243.

Moreira, F. B., Prado, I. N., Cecato, U., Wada, F. Y. & Mizubuti, I. Y. 2004. Forage evaluation, chemical composition, and in vitro digestibility of continuously grazed star grass. Animal Feed Science and Technology, 113,239-249.

2. Livros

AOAC. 2005. – Association Official Analytical Chemist. 2005. Official Methods of Analysis (18th ed.) edn. AOAC, Gaitherburg, Maryland, USA.

Van Soest, P. J. 1994. Nutritional ecology of the ruminant. Cornell University Press, Ithaca, NY, USA.

3. Capítulos de livros

Prado, I. N. & Moreira, F. B. 2004. Uso de ácidos ômega 3 e ômega 6 sobre a produção e qualidade da carne e leite de ruminantes. In: Prado, I. N. (ed.) Conceitos sobre a produção com qualidade de carne e leite. Eduem, Maringá, Paraná, Brasil.

 

II. RELATO DE CASO

Deve conter os seguintes elementos:
Título, Nome (s) de autor (es), filiação, resumo, palavras chave, introdução, relato do caso clínico, discussão e conclusão. Os elementos anteriores devem seguir as mesmas normas dos artículos de investigação original. 

 

III. REVISÃO DE LITERATURA

Deve conter os seguintes elementos:
Título, Nome(s) de autor (es), filiação, resumo, palavras chave. Os manuscritos devem seguir as mesmas normas dos artigo de investigação original, a excepção de Material e Métodos, Resultados e Discussão; no seu lugar, utilize títulos e subtítulos sobre o mesmo tema.

 

ENVIO DE ARTIGO

O envio de artigos pode ser realizado pelo site pubvet.com.br ou enviar diretamente no e-mail contato@pubvet.com.br

Para enviar o artigo pelo site você deve cadastrar o e-mail no pubvet.com.br/cadastro. Caso já possuía cadastro basta entrar no pubvet.com.br/login, em seguida acessar em artigo e clicar em cadastrar novo, preencher o formulário (o campo doi. não precisa ser preenchido), anexar o arquivo em Word e salvar.

Duvidas pode entrar em contato no e-mail contato@pubvet.com.br.

(REVISADO 2017)


Faça o download do arquivo.

Instrução aos Revisores



Taxa de Publicação

Assinatura da Revista: R$ 00,00

Submissão de artigos: R$ 00,00

Artigo aceito: R$ 400,00 

ATENÇÃO: A taxa de publicação dos artigos submetidos a partir do 01/05/2017 é de $R 400,00.

____________________________________________________________________________________________________________________

Prezados Colegas e Colaboradores

A revista PUBVET foi transferida para nossos domínios no final do ano de 2014. Após sua transferência, até esta data, nosso trabalho foi para inserir esta revista entre as publicações de respeito científico. Dentro deste contexto, alteramos toda estruturação de apresentação da revista com contratação de pessoas experientes em artes diagramáticas. Da mesma forma, alteramos toda a estrutura de publicação dos artigos com emprego de ferramentas modernas para a diagramação e arte final da revista com emprego de aplicativos com o end-note. Ainda, os arquivos passam por revisões científicas, gramaticais (português, inglês e espanhol). Para maior visibilidade dos artigos publicados, conseguimos inserir o DOI (identificador dos artigos) em cada artigo. Da mesma forma, indexamos e estamos ainda indexando a revista em diversas bases nacionais e internacionais (Trabalho árduo, difícil, mas imprescindível), principalmente no QUALIS-CAPES. Todo esse trabalho foi realizado pela nossa equipe com uso de tempo adicional e, mais ainda, com grande investimento financeiro. É importante destacar que todos esses investimentos foram pagos com recursos próprios dos atuais detentores da revista sem ônus para os colegas que visitam e publicam na revista. Nossa política preza pela transparência na visibilidade dos artigos publicados. Assim, abolimos a exigência de filiação para publicação na revista. No início publicávamos cinco artigos por fascículo, totalizando 60 artigos por número da revista. A partir deste ano, estamos publicando 15 artigos por fascículo, com intuito de publicar 180 artigos por ano. O aumento do número de publicação está sendo possível com a colaboração de todos e, com certeza, dará maior visibilidade e credibilidade à revista.

Por outro lado, em razão do aumento significativo dos custos, embora contra nosso próprio espírito científico, somos obrigados a majorar a taxa de publicação a partir deste segundo semestre de 2017. No entanto, ressalvamos que os trabalhos enviados até dia 30 de abril deste ano terão as taxas praticadas atualmente|. Informamos de, do contrário, não seria possível a continuidade da revista com sua qualidade atual. Ainda, informamos que estamos há três anos com nossas taxas congeladas. Assim sendo, para os artigos enviados após 1º de maio de 2017, a taxa de publicação será de R$ 400,00.

Consideramos, ainda, o contexto desagradável economicamente que o Brasil atravessa, mas sem majoração da taxa de publicação, seria difícil a continuidade do nosso trabalho. Esperamos contar com a compreensão e colaboração de todos os colegas e colaboradores. Colocamo-nos a disposição para dirimir possíveis dúvidas.

Maribel Velandia Valero

Editora Chefe

PUBVET

 


Código de Ética

Em conformidade com as diretrizes do COPE (Committee on Publication Ethics) e do CNPq, que visam incentivar a identificação de plágio, más práticas, fraudes, possíveis violações de ética e abertura de processos, indicamos:

1. Os autores devem visitar os website do COPE e o Relatório da Comissão de integriade de Pesquisa do CNPq, que contém informações para autores e editores sobre a ética em pesquisa;

2. Antes da submissão, os autores devem seguir os seguintes critérios:

- artigos que contenham aquisição de dados ou análise e interpretação de dados de outras publicações devem referenciá-las de maneira explícita;

- na redação de artigos que contenham uma revisão crítica do conteúdo intelectual de outros autores, estes deverão ser devidamente citados;

- todos os autores devem atender aos critérios de autoria inédita do artigo e nenhum dos pesquisadores envolvidos na pesquisa poderá ser omitido da lista de autores;

- a aprovação final do artigo será feita pelos editores e conselho editorial.


CC BY

Os direitos autorais pertencem exclusivamente aos autores. Os direitos de licenciamento utilizados pelo periódico consistem na licença Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0): são permitidos o acompartilhamento (cópia e distribuição do material em qualqer meio ou formato) e adaptação (remix, transformação e criação de material a partir do conteúdo assim licenciado para quaisquer fins, inclusive comerciais.

Recomenda-se a leitura desse link para maiores informações sobre o tema: fornecimento de créditos e referências de forma correta, entre outros detalhes cruciais para uso adequado do material licenciado.


Equipe


  • Maribel Velandia Valero

    Universidade Estadual de Maringá
    mvvalero@pubvet.com.br
  • João Moreira da Costa Neto

    Universidade Federal da Bahia
    jmcn@ufba.br
  • José Carlos da Silveira Osório

    Universidade Federal de Pelotas
    jcosorio@ufpel.edu.br
  • Marcelo Seneda

    Universidade Estadual de Londrina
    mseneda@uel.br
  • Marcio Manhaes Folly

    Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
    follyma@uenf.br
  • Maria Emília Camargo

    Universidade de Santa Cruz do Sul
    kamargo@terra.com.br
  • Osmar Souza dos Santos

    Universidade Federal de Santa Maria
    osmarsouzasantos@gmail.com
  • Paulo Cesar Moreira

    Pontifícia Universidade Católica de Goiás
    pc_8888@hotmail.com
  • Ricardo Orsi

    Universidade Estadual Paulista, UNESP, Campus de Botucatu
    orsi@fmvz.unesp.br
  • Tania Marta Carvalho dos Santos

    Universidade Federal de Alagoas
    tmcs@ceca.ufal.br
  • Valdinei Tadeu Paulino

    Instituto de Zootecnia
    paulino@iz.sp.gov.br
  • Cyro Rego Cabral Junior

    Universidade Federal de Alagoas
    cyrorcjr@gmail.com
  • Daise Rossi

    Universidade Federal de Uberlândia
    daiser@umuarama.ufu.br
  • Dorival Pereira Borges da Costa

    Instituto Federal do Mato Grosso
    zoodoc_ufrrj@yahoo.com.br
  • Débora Aparecida Pires de Campos Zuccari

    Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
    debora.zuccari@famerp.br
  • Duvaldo Eurides

    Universidade Federal de Uberlândia
    duvaldo@ufu.br
  • Elvino Ferreira

    Universidade Federal de Rondônia
    elvinoferreira@yahoo.com.br
  • Emerson Soares


    soaemerson@gmail.com
  • Eric Schimidt Rondon

    Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
    itacron@gmail.com
  • Érico Rodrigues

    Universidade Estadual Paulista, UNESP, Campus de Registro
    erzootec@gmail.com
  • Fábio Enrique Lemos Budiño

    Instituto de Zootecnia
    fbudino@iz.sp.gov.br
  • Francisco Cláudio Dantas Mota

    Universidade Federal de Uberlândia
    dantasmota@yahoo.com.br
  • Francisco Rafael Martins Soto

    Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo
    chicosoto34@gmail.com
  • George Shigueki Yasui

    Hokkaido University
    george@fish.hokudai.ac.jp
  • Ivanor Nunes do Prado

    Universidade Estadual de Maringá
    inprado@uem.br
  • Maria Del Pilar Rodriguez Rodriguez

    Universidade Estadual de Maringá
  • Andresa Pereira da Silva

    Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia, Ceará,Brasil
    http://lattes.cnpq.br/7217548518230917
  • Rodolpho Martin do Prado

    Universidade Estadual de Maringá
    rodolphoprado@hotmail.com
  • Tiago da Silva Teófilo

    Universidade Federal do Maranhão
    tiagoteo@hotmail.com
  • Alliny das Graças Amaral

    Universidade Estadual de Goiás
    alliny.amaral@ueg.b
  • Guilherme José Bolzani de Campos Ferreira

    Universidade Federal do Piau
    guilherme.ferreira@ufpi.edu.br
  • Luis Gustavo Castro Alves

    Universidade Estadual de Londrina
    gustavo353@hotmail.com
  • Melissa Watanabe

    Universidade do Extremo Sul Catarinense
    melissawatanabe@unesc.net
  • João Avelar Magalhães

    Embrapa
    joao.magalhaes@embrapa.br
  • Catarina Rafaela Alves da Silva

    Universidade Federal do Piauí
    catarinarafaela@hotmail.com
  • Rodrigo da Silva Lima

    Instituto Federal do Sertão Pernambucano
    rodrigo.lima@ifsertao-pe.edu.br
  • Aline Ferreira Amorim

    Instituto Federal do Tocantins
    alineamorim19@hotmail.com
  • Caio Tácito Gomes Alvares

    Universidade Estadual de Santa Cruz
    caioalvares@uol.com.br
  • Francisco Cardoso Filho

    Universidade Federal do Piauí
    veterinario_filho@hotmail.com
  • Geovania Maria da Silva Braga

    Universidade Estadual do Maranhão
    geovaniab@yahoo.com.br
  • Tatiana García Díaz

    Universidade Estadual de Maringá
    tatianagarcia.diaz@gmail.com
  • João Elzeário Castelo Branco Iapichini

    Agencia Paulista de Tecnologia dos Agronegócios
    iapichini@gmail.com
  • Graciele Araújo de Oliveira Caetano

    Faculdade de Jussara
    caetanozootecnia@outlook.com
  • Fábio Silva de Souza

    UNINORTE/Laureate International Universities
    mvfabiosouza@gmail.com
  • Sandra Márcia Tietz Marques

    Universidade Federal do Rio Grande do Sul
    smtmuni@hotmail.com
  • Mayra Diaz Vargas

    Universidade Estadual de Maringá
    mayradmvz@hotmail.com
  • Michele Moreira Martins de Oliveira

    Universidade Ceuma
    michele.martins@ceuma.br
  • Francisco Regis da Silva

    Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico
    regisfrs@hotmail.com
  • Bruno de Cássio Veloso de Barros

    Instituto Evandro Chagas-IEC /Laboratório de Rotavírus.
    brunocvb@yahoo.com.b
  • João Batista Gonçalves Costa Jr

    Embrapa
    jbzootec@gmail.com
  • Elton Roger Alves de Oliveira

    Universidade Federal Rural de Pernambuco
    eltonzootecnia@yahoo.com.br
  • Idioma

    Conteúdo da revista

    Edicões