Resultado da pesquisa

  • Vários fatores como desmatamento e expansão da agricultura e pecuária tem promovido o contato próximo entre animais selvagens e domésticos, levando ao compartilhamento de patógenos, dentre eles o Cytauxzoon felis. O objetivo com este trabalho é relatar um caso de cytauxzoonose em Puma concolor de vida livre proveniente da região sudoeste de Mato Grosso do Sul, Brasil. O diagnóstico foi obtido por meio de microscopia de sangue periférico e reação em cadeia da polimerase, que neste relato, caracterizou-se como achado acidental, uma vez que manifestações clínicas associadas à doença não foram observadas. A detecção de Cytauxzoon felis alerta para a necessidade de estabelecer a importância epidemiológica dos animais selvagens e o risco que representam para as populações domésticas e selvagens de cativeiro em relação aos patógenos transmitidos por carrapatos.

  • O objetivo deste trabalho é relatar o parasitismo gastrointestinal em gatos atendidos no Hospital de Clínicas Veterinárias da UFRGS (HCV/UFRGS), no período de 2014 a 2016. Foram analisadas amostras fecais de 339 felinos domiciliados da cidade de Porto Alegre, RS. As amostras foram processadas pelos métodos de Willis-Mollay, Lutz e Faust. Do total, 31,85% (108) apresentaram resultado positivo. Os parasitos de maior prevalência foram Ancylostoma spp. (40,74%), Cystoisospora spp. (21,29%) e Toxocara spp. (12,96%). Conclui-se que a prevalência mais alta ocorreu no ano de 2016, sem diferença para machos e fêmeas. Mesmo em baixa prevalência, parasitos dos gêneros Paragonimus, Spirometra e Giardia demandam atenção devido ao potencial zoonótico, o que torna o papel do médico veterinário de extrema importância participando da difusão e conscientização sobre a relevância destas parasitoses

    Novembro - v. 11, No. 11, p. 1074-1187 (2017)
  • O objetivo deste estudo foi avaliar a presença de parasitos em fezes de pombos alojados nas edificações do campus do Vale da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Este campus conta com 99 prédios e 85 foram vistoriados. Amostras fecais foram recolhidas de 17 (20%) deles e o diagnóstico parasitológico se baseou nos métodos de Willis-Mollay (WM), Lutz e Ziehl-Neelsen modificado (ZNm). Por WM e Lutz foram diagnosticados ovos de ascarídeos nas fezes coletadas nos prédios: 1. Departamento de Ecologia; 2. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Larvas de nematóides foram recuperadas em fezes presentes em seis prédios: 1. Instituto de Informática; 2. Laboratório de Pesquisa do Centro de Biotecnologia; 3. Departamento de Minas da Escola de Engenharia; 4. Biblioteca do Instituto de Física; 5. Instituto de Química - Anfiteatro de Sala de Aula; 6. Laboratório de Informática. Por ZNm, as amostras foram negativas para oocistos de Cryptosporidium spp. As amostras fecais de pombos alojados nas edificações da universidade apresentaram estruturas parasitárias com potencial zoonótico. Conhecer esta diversidade é de fundamental importância para uma melhor gestão do manejo, preservando a saúde das pessoas que transitam pelo campus do Vale da UFRGS.

    Novembro - v. 11, No. 11, p. 1074-1187 (2017)
  • As parasitoses gastrintestinais, entre elas as verminoses, são responsáveis por elevadas perdas econômicas, em decorrência do crescimento retardado, perda de peso, redução no consumo de alimentos, queda da produção de leite, baixa fertilidade e até mortalidade. O parasitismo é o maior flagelo que acomete os rebanhos mundiais. Os parasitos externos ocupam lugar de destaque entre as parasitoses dos animais domésticos. Os endoparasiticidas e ectoparaciticidas têm como função auxiliar na prevenção e combate as pragas, assim podendo diminuir o índice de certas doenças como, erliquiose e babesiose. A utilização profilática de endoparasiticidas e ectoparasiticidas em animais de companhia assume uma importância fundamental em nível de Saúde Animal, mas também no que respeita à Saúde Pública e Ambiental, face ao potencial zoonótico de determinados parasitas. A aplicação adequada e regular de antiparasitários recai sobre os proprietários para uma proteção contínua do animal, contra qualquer infecção parasitária. Nos carnívoros domésticos, cães e gatos, o maior desafio é o controle das pulgas e da sarna demodécica.

    Março - v. 11, No. 03, p. 207-312 (2017)
  • O Hepatozoon spp. é um protozoário, transmitido por artrópodes (carrapatos, ácaros, piolhos, entre outros) que podem atuar como hospedeiros definitivos, responsáveis por causar a Hepatozoonose. Os sinais clínicos incluem anorexia, mucosas pálidas, febre, poliúria, polidipsia, vômitos, diarréia, fraqueza, depressão, ataxia dos membros posteriores, emaciação e linfadenopatia periférica. O diagnóstico é feito através da identificação dos gamontes em neutrófilos ou monócitos, podendo muitas vezes o parasita ser encontrado casualmente em cães sem sinais clínicos, reafirmando o relato em questão, onde o animal não apresentou a sintomatologia da doença, mas houve a identificação de gamontes em neutrófilos. O tratamento foi feito com a associação de dipropionato de imidocarb e doxiciclina como é preconizado na literatura.

    Março - v. 11, No. 03, p. 207-312 (2017)
  • Consideradas zoonoses de grande impacto à Saúde Pública e causas de enormes prejuízos econômicos, a teníase e a cisticercose são duas doenças parasitárias distintas causadas por platelmintos do gênero Taenia. A teníase é adquirida pela ingestão de carne crua ou mal passada de suínos e bovinos contaminada respectivamente pelo Cysticercus cellulosae e Cysticercus bovis, formas larvárias de platelmintos das espécies Taenia solium e Taenia saginata. A cisticercose, adquirida pela ingestão de ovos de Taenia, pode se manifestar nos suínos e bovinos, representando um importante problema econômico pela condenação de carcaças, enquanto que a cisticercose humana, provocada pela ingestão de ovos de Taenia solium, é um grande problema de Saúde Pública. O objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão bibliográfica sobre o complexo teníase-cisticercose, destacando formas de transmissão, quadro clínico, possibilidades diagnósticas e medidas preventivas e ovos de cisticerco.

    Fevereiro - v. 11, No. 02, p. 103-206 (2017)
  • A criptococose é uma doença fúngica multissistêmica de caráter oportunista, de ocorrência mundial, acomete os mais diversos animais, inclusive os seres humanos, sendo que os felinos é a espécie animal mais acometido pela enfermidade, porém os cães também podem sofrer infecção por esta micose. Objetivou-se relatar um caso de criptococose canina na cidade de Aracaju, Sergipe, devido aos poucos relatos de casos descritos na literatura envolvendo paciente canino com lesões de pele, por isso a importância do registro deste caso.

    Fevereiro - v. 11, No. 02, p. 103-206 (2017)
  • O Brasil é uma das maiores potências mundiais em piscicultura, com uma produção aqüicola e pesqueira alcançando volume superior a um milhão de toneladas em 2004. A produção aqüicola nacional vem crescendo em média 21,1% ao ano, superando estatisticamente outras atividades de importância nacional como a bovinocultura. Porém o consumo per capita é baixo, cerca de 6 kg ao ano devido ao alto custo do produto final e hábitos alimentares que valorizam o consumo da carne bovina. A carne de peixe constitui uma fonte protéica de alto valor biológico, além de ser avaliada nutricionalmente como benéfica à saúde humana por ser fonte importante de aminoácidos essenciais, vitaminas, minerais e ácidos graxos. O peixe pode ser comercializado na forma in natura, refrigerado ou congelado, sendo a primeira a mais freqüente. A inspeção do produto ao ser comercializado deve ser criteriosamente observada, avaliando características organolépticas e presença de parasitos incrustados na carne. Os peixes quando cultivados, assim como os pescados, estão submetidos a fatores que levam ao estresse e, como conseqüência, podem surgir doenças concomitantes, especialmente doenças parasitárias, que constituem risco à saúde pública já que alguns desses parasitas provocam zoonoses. O aumento da incidência das zoonoses parasitárias está associado ao consumo da carne de peixe cru ou insuficientemente cozido, assim como hábitos alimentares que favoreçam a ingestão desse tipo de carne, como o “sushi” e o “sashimi” da cultura oriental. As principais zoonoses parasitárias transmissíveis pelo consumo inadequado de carne de peixe são a anisaquíase, eustrongilíase, a capilaríase, a fagicolose, a clonorquíase e a difilobotríase. Poucos são os relatos dessas parasitoses em humanos no Brasil, provavelmente pela falta de diagnóstico e não pela ausência das doenças no país. A inspeção sanitária de produtos oriundos do pescado ainda é escassa e estudos referentes à importância dos parasitas de peixes no país são reduzidos. Dessa forma, a melhor recomendação preventiva seria a abstinência do consumo da carne de peixe cru ou não cozida adequadamente, porém existem outras medidas profiláticas como o tratamento térmico, cocção, por exemplo, que seria capaz de eliminar a atividade parasitária tanto na forma adulta quanto larval, e o congelamento a -20ºC pelo período de sete dias, ou a -35ºC por período não inferior a quinze horas, também é descrito como eficaz na eliminação desses agentes parasitários. Autoridades sanitárias, piscicultores e médicos veterinários devem buscar maior controle no que diz respeito às enfermidades de peixes de caráter zoonótico, desde a produção até a comercialização do pescado, para diminuir as taxas de morbidade e mortalidade das criações, melhorar a qualidade do pescado destinado aos consumidores, evitando, por medida profilática, a propagação das zoonoses transmissíveis por peixes.

    Ago. 2 - v. 6, No. 25, p. Art. 1411-1416 (2012)
  • O presente estudo reporta a incidência do vírus rábico em bovinos, equinos e quirópteros nas regiões do Alto Araguaia e Sudoeste de Goiás, no período de 2000 a 2010. Os dados foram obtidos do arquivo da Agencia Goiana de Defesa Agropecuária (AGRODEFESA) do Laboratório de Análises e Diagnóstico Veterinário (LABVET) totalizando em 502 amostras. As amostras do sistema nervoso central destes animais foram submetidas à técnica de imunofluorescência direta e inoculação em camundongos. Constatou-se positividade ao vírus em 111 amostras de bovinos, 8 em equinos e nenhum relato para quirópteros. A região do Sudoeste apresentou o maior número de casos positivos ao vírus. A maioria dos morcegos analisados foi da espécie Desmodus rotundus. Sugere-se, um estudo completo sobre os aspectos biológicos dos quirópteros encaminhados para análise e também uma maior intensificação no número de amostras enviadas, o que contribuirá para o conhecimento destes animais na epidemiologia da raiva.

    Jun. 3 - v. 6, No. 22, p. Art. 1393-1398 (2012)
  • A Brucelose é uma zoonose que causa grandes riscos à saúde pública e também grandes perdas econômicas na pecuária. É uma doença infecciosa causada pelas bactérias do gênero Brucella. A Brucelose nos bovinos recebeu atenção maior, por parte dos órgãos públicos, nos últimos anos, culminando com a criação do PNCEBT com campanhas de vacinação obrigatória para animais fêmeas de 3 a 8 meses de idade. Objetivou-se com esta pesquisa, verificar o conhecimento dos produtores rurais acerca da importância da brucelose para a saúde pública no município de Redenção do Gurgueia-PI. A pesquisa foi conduzida na cidade de Redenção do Gurgueia, localizado no sul do estado do Piauí. De acordo com os dados levantados junto aos pequenos produtores rurais foi possível observar que 45,5% dos produtores entrevistados sabem identificar os sinais da Brucelose, mas 54,5% desconhecem os sinais clínicos da doença. Os resultados encontrados na pesquisa revelaram que, os produtores rurais do município de Redenção Gurguéia-PI, tem consciência dos danos que a Brucelose pode causar tanto à Saúde Animal quanto à Saúde Pública. Além, disso, foi possível perceber que a maior parte dos produtores preocupa-se e tem conhecimento básico também dos prejuízos que poderão ter, caso haja a introdução e difusão da doença em seus rebanhos.

    Nov. - v. 10, No. 11, p. 795-872 (2016)
  • A dirofilariose é uma doença parasitária causada pelo filarídeo Dirofilaria immitis. É relatada em várias espécies sendo o cão a mais importante. Concentra-se principalmente em regiões litorâneas, e é considerada uma zoonose. A presente pesquisa tem como objetivo investigar a possível infecção por Dirofilaria immitis e Dipetalonema reconditum em cães mantidos no canil municipal de Itajaí, Santa Catarina, Brasil.

    Mai. 2 - v. 6, No. 17, p. Art. 1363-1368 (2012)
  • Bom Jesus, no Piauí, é uma cidade na qual é visivelmente notável uma grande quantidade de animais errante circulando pelas ruas. A pesquisa objetivou-se caracterizar o perfil de tutores de cães e gatos do município, levando em consideração o comportamento quanto a posse responsável desses animais. A caracterização dos tutores foi feita pela aplicação de questionários com 25 perguntas objetivas, dentre elas perguntas socioeconômicas e sobre cuidados que devem ser tomados com o animal de estimação. A cidade de Bom Jesus demonstrou ser uma cidade em que a população na sua maioria possui curso superior completo ou a concluir e economicamente de classe média. Mas mesmo assim não obteve bons resultados com relação a posse responsável, pois 19,57% dos animais tem acesso livre a rua, 18,92% saem para passear sem guia ou desacompanhados, desses apenas 11,1% recolhem as fezes de seus animais na rua, 38,60% nunca foram levados ao médico veterinário, 64% relataram que o animal já teve infestação por ectoparasitos e desses apenas 9,09 foi tratado de forma correta (animal e ambiente) e na sua minoria 19,3% não faz utilização de antihelmíntico regularmente. Com o presente trabalho foi possível concluir que a maioria dos entrevistados não toma o devido cuidado com seus animais, demonstrando que a cidade de Bom Jesus precisa urgentemente de um programa de conscientização da população sobre guarda responsável de seus animais e dos riscos de zoonoses.

    Ago. - v. 10, No. 08, p. 580-635 (2016)
  • O cão devido ao estreito convívio estabelecido com o ser humano na atual sociedade torna-se fundamental no controle das principais zoonoses. Mediante isto, o presente artigo faz uma revisão sobre a brucelose canina, doença presente no Brasil que desencadeia prejuízos aos criadores de cães devido à redução nos índices reprodutivos de fêmeas e machos, além de ser uma doença relevante em saúde pública.  Objetivou-se abordar os principais aspectos relacionados ao agente etiológico, patogenia, diagnóstico clínico, laboratorial e epidemiológico da doença. O clínico deve ser capaz de orientar os proprietários para a necessidade de se impedir a entrada da brucelose canina em um plantel, além de identificar precocemente os animais infectados, principalmente quando houver histórico de fêmeas que abortaram no terço final de gestação ou de animais com baixo desempenho reprodutivo, para diminuir as perdas econômicas e evitar a infecção humana.

    Dez. 1 - v. 4, No. 40, p. Art. 980-985 (2010)
  • O cão no meio urbano é fonte potencial na transmissão da leptospirose devido ao estreito convívio estabelecido com o ser humano.  O presente artigo faz uma revisão sobre a leptospirose canina abordando os principais aspectos relacionados ao agente etiológico, patogenia, diagnóstico clínico-patológico, imunoprofiláticos e epidemiológicos da doença. A leptospirose canina apresenta-se com variado polimorfismo clínico e deve ser considerada pelos clínicos veterinários no estabelecimento do diagnóstico diferencial das principais doenças infecciosas que acometem esta espécie.

    Set. 3 - v. 4, No. 31, p. Art. 917-923 (2010)
  • Iniciou-se um estudo sobre a ocorrência de Leishmaniose Visceral Canina em cães, no município de São Vicente Férrer, do estado de Pernambuco. No período de julho de 2003 a julho de 2005, foram coletadas amostras de sangue de 503 cães domésticos, de diferentes localidades, escolhidos aleatoriamente, para exame pelo Teste de Imunofluorescência Indireta. Foram processadas preliminarmente, 503 amostras de soro, das quais 12,3% estavam positivas para Leishmania. Quanto às titulações encontradas nos soros reagentes, 77,4% tiveram títulos de 1:40; 9,6% apresentaram 1:80; 8,0% depararam com 1:160; 3,2% tiveram 1:320 e 1,6% deram 1:640. A partir desses resultados foram selecionados 20, dos cães sorologicamente positivos para realização de aspirado de medula óssea. Destes, 85% apresentaram formas amastigotas de Leishmania sp. Este é o primeiro registro do encontro de cães sorologicamente positivos para Leishmania no município de São Vicente Férrer, estado de Pernambuco, Brasil.

    Ago. 1 - v. 4, No. 25, p. Art. 879-885 (2010)
  • Os parasitos intestinais estão entre os agentes patogênicos mais comumente encontrados em animais de companhia e constituem uma das principais causas de transtornos intestinais em cães. São responsáveis por apatia, diminuição da performance, anemias, perda de peso, vômitos, diarréia, prurido anal, convulsões e morte. Além da ação direta do parasito, o hospedeiro pode adquirir severas enterites e pneumonias devido à infecção bacteriana secundária. Este quadro sintomatológico ocorre em animais jovens, enquanto os cães adultos, geralmente, mantêm a parasitose assintomática, mas passíveis de transmissão aos filhotes e ao homem. O presente trabalho analisa os endoparasitas que acometem cães no município de Apodi, Rio Grande do Norte, Brasil. Foram analisadas 60 amostras de fezes de cães coletadas no período de janeiro a dezembro de 2008 e examinadas segundo a técnica de Willis, Sheather e Hoffmann. Nas endoparasitoses foram observados Ancylostoma spp., Dipylidium caninum, Toxocara canis e Trichuris vulpis. Nas endoparasitoses com associação de mais de um parasito, foram encontrados: Ancylostoma spp. + T. canis e Ancylostoma spp. + Trichuris vulpis. Estes resultados sugerem a necessidade do controle parasitário dos cães nesta região para diminuir o risco de zoonoses.

    Maio 4 - v. 4, No. 20, p. Art. 844-849 (2010)
  • A interação entre homens e animais pode trazer benefícios e danos. Entre os benefícios da convivência com o animal está a melhora da qualidade de vida, por meio da redução do estresse, diminuição das tensões entre membros da família e aumento da compaixão no convívio social. Por outro lado existe a possibilidade de alguns efeitos danosos como, agressões e transmissão de zoonoses aos proprietários, exigindo maior cuidado quando se trata de indivíduos imunocomprometidos. O médico veterinário é o profissional mais importante nessa interação, o qual poderá atuar e influenciar de maneira eficaz para o sucesso da mesma, dependendo de seu conhecimento sobre o assunto e de sua própria vivência como profissional. Este estudo objetivou investigar a percepção de estudantes de medicina veterinária com relação à interação entre homens e animais de estimação e o risco de se adquirir zoonoses por proprietários HIV positivos. A coleta de dados foi realizada por indivíduos treinados, que por meio de um questionário padronizado, entrevistaram 218 estudantes de veterinária, obtendo-se dados demográficos, sociais, interação com animais e riscos de zoonoses. Os dados foram duplamente digitados, medidas de controle de qualidade verificadas e estatisticamente analisados. Os resultados mostraram que 77% dos entrevistados criam animais, sendo o cão o animal preferido (77%) e 95% classificam o convívio entre homens e animais de estimação como de significativa importância. Em situação de atendimento clínico, apenas 33% declaram conversar frequentemente com os proprietários sobre zoonoses e 48,2% disseram sentirem-se confortáveis ao serem abordados sobre zoonoses por um indivíduo HIV positivo. Ainda com relação ao atendimento clínico, 35% dos entrevistados afirmaram nunca perguntarem ao proprietário se há algum indivíduo HIV positivo convivendo com o animal, 32% pergunta constantemente e 29% às vezes. Com relação ao risco de indivíduos HIV positivos adquirir zoonoses convivendo com um animal de estimação, 59% classificaram esse risco como significante e 88% permitiriam que esse indivíduo mantivesse seu animal de estimação. Foi pesquisado, ainda, a classificação de riscos para zoonoses segundo as diferentes espécies de animais. Conclui-se que é necessário maior destaque e aprofundamento de conhecimentos sobre a realidade atual de interações entre homens e animais de estimação e riscos de zoonoses entre indivíduos imunocomprometidos por parte de futuros profissionais intermediadores dessa interação.  

    Maio 3 - v. 4, No. 19, p. Art. 837-842 (2010)
  • Este trabalho objetivou avaliar a percepção de alunos da 6ª série do ensino fundamental quanto ao risco zoonótico em torno da posse de animais de estimação no municipio de Alegre-ES. Para tanto, foi utilizado um questionário epidemiológico em três escolas, uma particular, uma pública municipal e a outra pública estadual. Participaram 90 alunos, dos quais 30 de cada escola. Foi verificado que 70% dos alunos das redes particular e estadual, e 66,7% da municipal possuem pelo menos um animal de estimação. Sobre os cuidados com seus animais, 66,7% dos alunos da escola particular relataram que seus animais estavam vacinados e vermifugados, enquanto que das escolas estadual e municipal foram verificados apenas 33,3% e 15%, respectivamente. Em relação ao conceito de zoonoses, 80% dos alunos da escola estadual e apenas 46,7% dos alunos das escolas municipal e 36,7% da particular demonstraram conhecimento sobre o tema. Dentre as fontes de informação sobre o tema zoonoses, a escola foi citada, por 83,3% dos alunos da rede estadual e 30% da municipal. Para 40% dos alunos da escola particular a mídia (TV, jornais, revistas e internet) foi o principal meio de informação. Com base nos dados observados foi observado que as crianças da rede pública estadual demonstram maior discernimento sobre o conceito de zoonoses do que as crianças da rede pública municipal e privada. Por outro lado, as crianças do ensino privado demonstraram maior conhecimento geral em relação aos pontos que envolvem a posse responsável.

    Nov. 1 - v. 5, No. 40, p. Art. 1258-1263 (2011)
  • A Esporotricose e a Leishmaniose Tegumentar são duas dermatoses que acometem cães e gatos, além de possuírem alto potencial zoonótico. Por apresentarem lesões semelhantes nos animais acometidos, se torna essencial a caracterização epidemiológica, sintomatológica, métodos efetivos de diagnóstico e controle, a fim de se escolher a abordagem terapêutica mais conveniente ao caso e como conseqüência proteção dos seres humanos quanto às estas enfermidades.

    Out. 3 - v. 5, No. 38, p. Art. 1245-1250 (2011)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões