Resultado da pesquisa

  • O objetivo dessa revisão de literatura foi descrever os parâmetros fisiológicos e comportamentais de ovelhas da raça Santa Inês de diferentes colorações de pelagens, criadas em ambientes com ou sem sombreamento. Os autores citados observaram parâmetros fisiológicos como temperatura retal, frequência respiratória, frequência cardíaca, atividades comportamentais, bem como a coloração do pelame. Houve consenso entre os diversos autores quanto ao efeito do período do dia, sobre a temperatura retal e frequência cardíaca dos animais, que se mostraram significativamente maiores no período da tarde do que do período da manhã. O turno da tarde apresentou condições de elevado estresse calórico, estando estes animais em situação de perigo, em relação ao índice de conforto térmico. Com relação à coloração do pelame, os aninais de pelame escuro apresentaram maior frequência respiratória do que os de pelame claro, podendo significar que estes animais não foram capazes de dissipar todo o calor necessário para manter sua temperatura corporal dentro do limite basal médio 39,1°C. Os animais mantidos ao sol dedicaram menor tempo diário à alimentação, realizando atividades que demandam menor movimentação, como ruminação e ócio, em relação aos animais mantidos em ambiente sombreado, onde a maior parte do tempo foi destinada às atividades de pastejo, que alcançaram ganho de peso com maior facilidade no mesmo período de tempo. Desta forma, o sombreamento artificial ou natural proporciona o conforto térmico, elevando o desempenho de produção, e apresentando o potencial da aptidão do animal, mantendo a temperatura corporal, temperatura retal, batimentos cardíacos e frequência respiratória a níveis normais, não despendendo de esforço para isso.

    Agosto - v. 11, No. 08, p. 744-839 (2017)
  • A falta de pesquisas e incentivo para fomentar projetos que apresentem a importância de se manter árvores ou de construir abrigos no pasto para os animais de criação é um dos problemas a serem solucionados na área de produção animal. Ultimamente foram feitos vários trabalhos sobre o ganho de produção em rebanhos, devido ao uso de sombra ou abrigos. Em um trabalho foi constatado um aumento de 20% na média de produção do gado de leite que tinha acesso a sombra. Em todos os casos a temperatura ambiente elevada associada à alta umidade relativa do ar, bem como a radiação solar e outros fatores ambientais, são considerados componentes climáticos estressantes para o rebanho bovino leiteiro, de modo a reduzirem o desempenho produtivo destes animais, uma vez, que vacas em lactação, principalmente as de alta produção, são sensíveis ao estresse térmico. Em diversas regiões do planeta há uma carência de árvores para fornecer uma sombra adequada para os animais que são criados no pasto, nestes casos o melhor a se fazer é usufruir de sombreamento artificial, seja móvel ou fixo, no qual é importante para o bem estar animal e melhorar o seu desempenho reprodutivo. Uns pesquisadores observaram o efeito da sombra proporcionada por piquetes em vacas lactantes e concluíram que as vacas com acesso a sombra apresentaram maior produção de leite diária total do que as que não se beneficiaram com sombra. Portanto, é importante de se manter as árvores e construir abrigos para que os rebanhos de criação possam suportar as altas incidencias de raios solares e melhorarem o seu desempenho reprodutivo.

    Abr. 3 - v. 6, No. 14, p. Art. 1345-1351 (2012)
  • Inúmeros trabalhos atestam os efeitos negativos das elevadas temperaturas sobre a produção de leite. Por isso diversas modificações ambientais podem ser introduzidas, visando diminuir a temperatura sobre os animais e, conseqüentemente, atenuar o estresse por calor, auxiliando, assim, no conforto de vacas leiteiras confinadas. Assim, o objetivo desta revisão foi abordar os efeitos do sombreamento e da aspersão de água sobre a produção de leite e respostas fisiológicas em vacas leiteiras. Vários métodos têm sido empregados, tais como: sombreamento natural ou artificial, ventilação, resfriamento do ar a partir da aplicação de gotículas de água, pulverização de água sobre os animais acompanhada de ventilação e condicionamento do ar. Em sistemas de produção intensiva, somado ao sombreamento, a utilização de sistemas de resfriamento evaporativo proporcional aos animais um ambiente com temperaturas mais amenas, evitando situações de estresse térmico e aumentando a produção leiteira. Já em pastagens, o fornecimento de sombra, seja natural ou artificial, torna-se necessário para vacas leiteiras com o objetivo de diminuir o excesso de calor recebido através da radiação solar direta, principalmente nas horas mais quentes do dia e em regiões próximas a linha do Equador.

    Mar. 2 - v. 6, No. 09, p. Art. 1313-1318 (2012)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões