Resultado da pesquisa

  • Dermatófitos são fungos queratinofílicos e queratinolíticos causadores da dermatofitose em homens e animais, e mesmo com uma variedade de métodos disponíveis, o diagnóstico laboratorial ainda representa uma grande dificuldade na rotina da clínica veterinária. Objetivou-se avaliar a técnica da PCR-RFLP como uma alternativa a cultura na identificação de dermatófitos em cães e gatos. Analisou-se 150 amostras clínicas de animais com dermatopatias. Culturas e extrações de DNA dos pelos e/ou crostas foram realizadas. Colônias de M. canis (URM 6273), M. gypseum (URM 6921) e T. mentagrophytes (URM 6211), provenientes da Coleção de Culturas - Micoteca URM – Departamento de Micologia, Centro de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Pernambuco (CCB/UFPE), foram utilizadas para verificação de padrões de bandas diferenciados que identificassem estas espécies. Os primers utilizados foram ITS 1 e ITS 4. A endonuclease BseBI foi a escolhida para a obtenção do padrão de fragmentos. Para o estudo de concordância entre os testes utilizou-se o coeficiente de Kappa (K). Observou-se uma concordância muito boa entre os resultados da cultura e da PCR-RFLP (K = 0.813). Conclui-se que a técnica molecular apresentou grande potencial de identificação de dermatófitos em amostras clínicas de cães e gatos, no entanto, ressalta-se a necessidade de se ampliar esses estudos, para futura indicação da PCR-RFLP na rotina laboratorial.

    Fevereiro - v. 11, No. 2, p. 103-206 (2017)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões