Resultado da pesquisa

  • O objetivo deste trabalho foi relatar um caso de um cão naturalmente infectados por Leishmania spp. com apresentação clínica incomum e não relatada. O canino, sem raça definida, macho, de 4 anos de idade, foi atendido com histórico de ulceração no terço médio da língua, medindo em torno de 2 cm de diâmetro, com aparecimento há 5 meses. O exame citopatológico foi determinante para a visualização de formas amastigota de Leishmania spp, sendo possível o diagnóstico de leishmaniose.

    Novembro - v. 11, No. 11, p. 1074-1187 (2017)
  • Conforme demonstram vários estudos, a nutrição de cães hospitalizados é de extrema importância para a recuperação do paciente. Porém, infelizmente, muitas vezes esse aspecto é negligenciado na Medicina Veterinária. Assim, desenvolveu-se este trabalho com o objetivo de esclarecer a importância da implementação de suporte nutricional adequado para cães internados e sua relação com os quadros clínicos mais comumente encontrados na rotina.

    Setembro - v. 11, No. 09, p. 840-946 (2017)
  • A presente revisão tem como objetivo abordar a importância de exames diagnósticos para afecções uterinas como no caso de endometrite e endometrose para que se tenha maior sucesso em programas reprodutivos de equinos. A endometrite é a patologia que leva a maior perda econômica na Equideocultura. Essa afecção uterina pode acometer éguas de qualquer idade e em qualquer categoria reprodutiva. Existem éguas mais susceptíveis e situações as quais também levam a uma maior taxa de ocorrência da patologia. A indústria equina vem crescendo muito e cada vez mais busca soluções de alguns problemas encontrados para que aumente a eficiência na utilização das biotecnologias reprodutivas como inseminação artificial e transferência de embriões. O diagnóstico de endometrite através de exames como a citologia uterina, análise microbiológica de amostras coletadas do útero e principalmente da histopatologia através da biópsia de amostra extraída do endométrio das éguas elucidam algumas dúvidas que se tem quando trabalha-se com doadoras de embriões que apresentam baixa taxa de recuperação embrionária assim como na escolha de melhores receptoras de embriões já que as mesmas exercem um dos papeis mais importantes no sucesso dos resultados da transferência de embriões. São abordados também alguns tratamento e perspectivas futuras. Os três métodos diagnósticos citados explicados na presente revisão apresentam boa eficiência, com diferença entre os mesmos sendo utilizados em conjunto aumentam a acurácia dos resultados. Diante do exposto, torna-se indispensável a utilização dos métodos diagnósticos discutidos na rotina reprodutiva de éguas doadoras e receptoras de embriões com objetivo de aumento da eficiência na reprodução de equinos.

    Dez. - v. 10, No. 12, p. 873-945 (2016)
  • A peritonite infecciosa felina (PIF) é uma doença fatal dos felídeos, causada por um coronavírus, caracterizada por vasculite e serosite fibrinosa. Este trabalho tem como objetivo relatar a ocorrência de Peritonite Infecciosa Felina em um gato sem raça definida, macho, pesando dois quilogramas, adulto, não sendo possível se determinar a idade exata. Na necropsia os achados macroscópicos se caracterizaram por edema ocular, peritonite serofibrinosa aguda, perihepatite fibrinosa, pleurite fibrinosa aguda, presença de líquido citrino na cavidade abdominal, rim com lesões piogranulomatosas e lesões granulomatosas recobrindo o omento, mesentério e a serosa intestinal. O diagnóstico da PIF é feito através da avaliação do histórico, achados clínicos, resultados laboratoriais e exclusão de doenças semelhantes. O diagnóstico definitivo é feito através da necropsia e histopatologia.

    Jun. 3 - v. 6, No. 22, p. Art. 1393-1398 (2012)
  • Considerando a relevância das análises clínicas no estabelecimento e auxilio ao diagnóstico clínico veterinário, o texto traz uma análise da relação entre laboratório e veterinário, e como ambos devem proceder para alcançarem seus reais objetivos de facilitadores no diagnóstico clínico. Nesse contexto ressalta-se as análises clínicas como adjuvantes em diferentes situações patológicas, além de enfatizar o papel fundamental do clínico veterinário como colaborador para que essas análises sirvam de auxilio na sua rotina clínica.

    Novembro - v. 11, No. 11, p. 1074-1187 (2017)
  • Os quadros de sepse em animais vêm se apresentando de forma bastante rotineira, exigindo dos médicos veterinários cada vez mais conhecimento sobre o assunto, além de uma equipe preparada, para adoção de estratégias terapêuticas rápidas e precisas. A sepse cursa inicialmente com um quadro da síndrome da resposta inflamatória sistêmica (SIRS) gerada por um agente infeccioso, que em muitos casos evolui para a síndrome e disfunção de múltiplos órgãos, a qual sem intervenções adequadas originam elevadas taxas de mortalidade. Contudo, a sepse na medicina veterinária e na medicina humana é responsável por alta mortalidade em unidades de terapia intensiva. Porém, sem o conhecimento da sua fisiopatologia não se pode intervir adequadamente. Assim, objetivou-se com esta revisão descrever a fisiopatologia e o tratamento para cães com sepse.

    Jan. - v. 10, No. 01, p. 001 - 110 (2016)
  • Em medicina veterinária, o aumento do número de casos de tumores mamários em cadelas tem despertado um maior interesse no estudo do prognóstico dessa neoplasia. O diagnóstico desses tumores é baseado na idade, história reprodutiva e nas alterações físicas da mama encontradas no exame clínico, sendo a histopatologia a maneira mais eficiente para a confirmação dessa doença, entretanto, a PAAF tem se mostrado um excelente meio de diagnóstico por ser um procedimento rápido, quase indolor e de baixo custo para o proprietário.

    Out. 2 - v. 4, No. 34, p. Art. 938-943 (2010)
  • A obstetrícia é uma área da veterinária que estuda a reprodução da fêmea, investigando a gestação, o parto e o puerpério nos seus aspectos fisiológicos e patológicos. O ultra-som é um método seguro de diagnóstico não existindo efeitos deletérios a gestantes e fetos. Por meio da ultra-sonografia é possível um diagnóstico gestacional precoce, assim como monitoração das fêmeas gestantes, avaliação da viabilidade fetal e detecção de possíveis anormalidades da gestação e dos fetos, dentre outros. Neste sentido, nesta revisão serão discutidas a formação da imagem de ultra-som e a aplicação deste exame na obstetrícia animal. 

    Ago. 3 - v. 4, No. 27, p. Art. 893-898 (2010)
  • Os exames complementares por meio de imagens têm sido bastante empregados na medicina veterinária e se tornaram importantes no auxílio ao diagnóstico de diferentes patologias na clínica de pequenos animais permitindo ao veterinário estabelecer uma conduta de tratamento e um possível prognóstico dependendo do caso. O presente estudo teve por objetivos registrar o emprego de exame radiográfico na rotina de atendimentos em diferentes patologias; verificar a efetividade do exame radiográfico na abordagem do diagnóstico diferencial entre patologias e analisar a frequência de diferentes casos envolvendo o uso de exame radiográfico com os parâmetros de espécie animal, raça, sexo e idade que foram submetidos à avaliação radiográfica. O trabalho consistiu em um levantamento de casos oriundos de uma clínica veterinária na cidade de Manaus, sendo os dados obtidos a partir de fichas de avaliação clínica/cirúrgica de animais atendidos no período de 19 de agosto a 20 de outubro de 2010. De 516 procedimentos realizados na rotina do local de estudo em 32 casos (6,2%) houve a necessidade do emprego de exame radiográfico. De 32 casos analisados o exame radiográfico foi efetivo na condução do diagnóstico das patologias. Destes, 93,6% dos animais acometidos foram da espécie canina; 71% sendo animais de raça e destes 31,8% prevaleceu a raça Rottweiler; 64,5% foram machos e animais com idade de até dois anos (51,6%) foram os que predominaram. O exame complementar por imagem radiográfica é uma importante ferramenta no auxílio diagnóstico na rotina de uma clínica veterinária.

    Out. 2 - v. 5, No. 37, p. Art. 1238-1244 (2011)
  • Este trabalho teve como objetivo verificar e analisar as principais ocorrências post – mortem em eqüinos, asininos e muares abatidos em matadouro frigorífico exportador de Araguari – MG no período de 2004 a 2008. A pesquisa foi desenvolvida em Matadouro frigorífico exportador de Araguari através da análise dos arquivos contendo dados das patologias encontradas nos eqüinos abatidos. As patologias de maior ocorrência foram: brucelose, linfadenite, lesão supurada, lesão traumática e neoplasia. Para análise dos dados utilizou-se estatística descritiva. A maior prevalência encontrada foi para lesão traumática com 1,886%, a linfadenite ocupou o segundo lugar com 1,193%, as outras patologias analisadas tiveram os seguintes valores: 0,896% para neoplasia, 0,540% para lesão supurada e 0,164% para brucelose.

    Set. 3 - v. 5, No. 34, p. Art. 1218-1223 (2011)
  • A Circovirose suína causa um dos maiores prejuízos na criação e exploração de suínos no Brasil e no mundo. A infecção generalizada envolve vários sistemas corporais. O resultado final é um atraso significativo no crescimento e refugagem de leitões afetados. É uma doença caracterizada por depressão, perda progressiva de peso, taquipnéia, dispnéia, icterícia, palidez cutânea e diarréia em leitões de cinco á 13 semanas de idade. Na necropsia, os achados mais importantes são o aumento de volume de linfonodos e pulmão não-colapsado, com áreas consolidadas, principalmente nos lobos craniais e porção anterior dos lobos médios. O diagnóstico da infecção baseia-se na análise de sintomatologia e no isolamento do vírus, na identificação de antígenos ou do genoma viral em animais suspeitos a partir de lesões macroscópicas e microscópicas, alterações hematológicas e bioquímicas. O objetivo desta revisão foi fazer um levantamento sobre a Circovirose suína.

    Mar. 3 - v. 5, No. 10, p. Art. 1058-1064 (2011)
  • A tuberculose bovina é uma doença que apresenta significativos reflexos econômicos, bem como aqueles que afetam diretamente ou indiretamente a saúde pública. Muitos animais infectados pelo agente causador da referida doença são abatidos diariamente, causando uma situação preocupante, pois como é sabido, o diagnóstico da doença no âmbito de matadouro frigorífico, se restringe prioritariamente ao diagnóstico macroscópico das lesões suspeitas, o que eventualmente pode levar a um diagnóstico equivocado. Assim, o veterinário, não raro se vê em uma situação difícil, quando na identificação da lesão na sala de abate. A partir disso, coletaram-se em um frigorífico da região de Uberlândia, 42 amostras de carcaças desviadas ao DIF (Departamento de Inspeção Final), como suspeitas de tuberculose, para serem diagnosticadas através da histopatologia para a confirmação da doença. As amostras foram fixadas em formol a 10% e conduzidas para o Departamento de Histopatologia da UFU para os procedimentos técnicos na preparação das lâminas. Os resultados mostraram que 69,04% eram positivas para tuberculose e 30,95%foram classificadas como linfadenites inespecíficas. Avaliaram-se estatisticamente as variáveis idade, raça e sexo, apresentando dependência estatística significativa a variável sexo, e independência entre as variáveis idade e raça, todas analisadas em relação à classificação da tuberculose como típica ou não típica. Todas as amostras eram de animais fêmeas, provenientes do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba

    Mar. 1 - v. 5, No. 08, p. Art. 1043-1049 (2011)
  • A mumificação fetal é uma alteração resultante da morte do feto, com a sua reabsorção incompleta, ocorrendo após a formação da placenta. Através de um mecanismo inespecífico de desidratação dos tecidos moles dos fetos, ocorre a deposição de cálcio nos tecidos do embrião. Seus relatos na literatura descrevem a ocorrência de mumificação nas mais diversas espécies animais, sendo mais frequente em bovinos. A morte dos fetos pode ocorrer por causas multifatoriais. Para instalação da patologia, faz-se necessário a ausência dos microrganismos que promovem a lise dos tecidos mortos, não ocorrendo assim a contaminação do ambiente uterino, desencadeando uma manifestação clínica associada, como a maceração. Desse modo os fetos que não são completamente reabsorvidos e acometidos por infecções bacterianas, apresentam-se mumificados. O processo de formação óssea se inicia no período fetal, desse modo, a mumificação do feto ocorrerá se o mesmo vir a óbito neste período.  Este espaço de tempo vai variar de acordo com a espécie, e com seu período de gestação e desenvolvimento embrionário. Determinar a etiologia dessa condição nem sempre é possível, devido à degeneração e autólise dos tecidos embrionários, geralmente tornando o feto mumificado inútil a análise bacteriana e viral. A realização de um bom manejo, em associação com medidas de biosseguridade faz-se imprescindível para controle dos índices de mumificação fetal.

    Ago. 1 - v. 8, No. 15, p. 1822-1939 (2014)
  • Este estudo objetivou identificar a incidência e a localização de afecções traumáticas em espécimes cativos de muçuãs (Kinosternon scorpioides). Foram utilizados 77 muçuãs provenientes do plantel de reprodução do Criadouro Científico do Projeto Bio-Fauna, localizado na Universidade Federal Rural da Amazônia – UFRA, Belém, PA. Dos 77 animais avaliados 55 (70%) apresentaram algum tipo de alteração traumática, sendo 35 (56,5%) lesões identificadas em fêmeas e 27 (43,5%) em machos com maior ocorrência durante o período reprodutivo. As lesões macroscópicas identificadas distribuíram-se entre partes moles, plastrão e carapaça. Os agentes isolados de abscessos subcutâneos foram: Morganella morganii, Enterobacter cloaceae e Enterococcus faecium. Pode-se concluir que neste estudo a maior frequência de casos de alterações do tegumento em muçuãs coincidiu com o período reprodutivo, e as lesões localizaram-se principalmente nas partes moles.

    Jan. - v. 10, No. 01, p. 001 - 110 (2016)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões