Resultado da pesquisa

  • A pediculose em gatos é incomum e pouco relatada. Existe uma altíssima especificidade de hospedeiro que facilita a identificação. Não sendo encontrado nenhum outro relato deste parasito no sul do estado do Rio de Janeiro (Quatis), que descreva a incidência de Felicola subrostratus nesta região do Brasil. Os sinais clínicos observados foram: Alopecias, tricorrexia, prurido intenso, irritabilidade, mudanças comportamentais, etc. Foi feita a identificação do parasito e o tratamento foi proposto, o qual foi bem-sucedido com a eliminação dos parasitos, e melhora dos sinais clínicos.

    Janeiro - v. 12, No. 01, p. 139 (2018)
  • Com o objetivo de determinar a frequência de endoparasitos em cães e gatos, foi realizado um levantamento dos resultados de exames coproparasitológicos, executados na rotina de um Laboratório Veterinário em São Luís – MA, no período de Julho de 2012 a Julho de 2015. Nesse período foram realizados 780 exames, sendo 92% de cães e 8% de gatos. Deste total, 23% das amostras foram positivas para pelo menos um parasito. Ancylostoma sp. foi o gênero mais frequente em ambas as espécies com 48% dos cães e 63% dos gatos parasitados. Quanto à infecção, 80% dos cães e 86% dos gatos apresentaram infecção única, enquanto que 20% dos cães e 14% dos gatos apresentaram infecção múltipla. Esses resultados revelam uma incidência expressiva, o que representa elevados riscos não só aos animais como também na saúde humana e tal fato reforça a necessidade de implementar medidas efetivas no sentido de reduzir a carga parasitária dos animais e minimizar os riscos de infecção humana.

    Junho - v. 11, No. 06, p. 538-645 (2017)
  • A compreensão dos estudos na área da oncologia é de fundamental importância para a descoberta de sua etiologia, classificações e formas de tratamento, uma vez que o número de pacientes atendidos com alguma neoplasia cresce a cada década. A predisposição genética e a exposição a fatores físicos e químicos favorecem o desenvolvimento de neoplasias nos animais sendo que a pele e seus anexos são locais muito comuns de desenvolverem neoformações, principalmente em países de clima tropical, pela exposição crônica à radiação ultravioleta. O carcinoma de células escamosas é uma neoplasia de epitélio, maligno, de crescimento lento e não necessariamente metastático comum em felinos, bovinos, caninos, eqüinos, relativamente incomum em ovinos e raro em caprinos e suínos. Sua etiologia precisa ainda não é conhecida e a causa exógena mais comumente aceita é a exposição à luz ultravioleta, com conseqüente lesão do ácido desoxirribonucléico (DNA) e mutagenicidade associada. O prognóstico varia de acordo com a localização e o estágio clínico no momento do diagnóstico. É considerado favorável quando o diagnóstico é realizado precocemente e também quando a excisão cirúrgica completa é possível, porém, quando houver lesões que envolvam estruturas ósseas, o prognóstico passa a ser reservado. A presente revisão bibliográfica tem como objetivo principal reunir informações atuais sobre o carcinoma de células escamosas em caninos e felinos, do ponto de vista clínico e patológico, a fim de facilitar o raciocínio sobre esta neoplasia, desde sua abordagem inicial, até seu diagnóstico final.

    Fev. 3 - v. 6, No. 06, p. Art. 1295-1300 (2012)
  • O vírus da Leucemia Viral Felina (FeLV) é um Gammaretrovírus, da família Retroviridae, que é transmitido, principalmente, pela exposição oronasal e afeta tanto gatos domésticos quanto, felinos selvagens, debilitando o sistema imunológico. A doença tem grande relação com alta densidade populacional e pode ser transmitida pela saliva, sangue, urina, via transplacentária dentre outros. É uma doença que pode se apresentar tanto de forma neoplásica quanto não neoplásica e imunossupressora, e sua gravidade varia dependendo das características genéticas da variante infectante do vírus. O tratamento da FeLV é de acordo com a doença secundária e no caso das neoplasias, a quimioterapia associada pode ser relativamente eficaz. 

    Ago. 2 - v. 8, No. 16, p. 1940-2029 (2014)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões