Resultado da pesquisa

  • O objetivo do presente trabalho foi efetuar um levantamento epidemiológico para determinar a ocorrência de Eimeria spp. em 82 bovinos leiteiros de uma Fazenda de médio porte no Vale do Paraíba, incluindo bezerros e bovinos adultos. Eimeria é um coccídeo que ataca principalmente o epitélio digestivo de aves e mamíferos domésticos, sendo um importante agente causador de diarreias prejudiciais a estes animais. Essa doença acaba acometendo os bezerros, e, por serem mais sensíveis à infecção, eles apresentam sintomas como diarreia sanguinolenta, fraqueza, perda de peso, entre outros. Sua transmissão pode ocorrer através da ingestão de oocistos, que são encontrados em água contaminada, pastagens ou até mesmo na pelagem dos animais. O diagnóstico é feito através dos sinais clínicos, lesões macroscópicas e por meio da realização de exames de fezes, evidenciando oocistos do parasito. Após análise de amostras fecais coletadas diretamente da ampola retal dos animais, observou-se uma ocorrência elevada de Eimeria spp. tanto nos bovinos adultos (50%), quanto nos bezerros (61,5%), sendo significativamente maior (p<0,05) em relação a outros protozoários e até mesmo em relação aos helmintos, podendo levar a perdas econômicas, decorrentes da morte de bezerros e perda de produção, trazendo a tona não só a necessidade de tratamento e manejo adequado do rebanho estudado, como também a necessidade da realização de inquéritos semelhantes, visando minimizar os impactos negativos decorrentes dessa importante parasitose bovina.

    Mar. - v. 11, No. 3, p. 207-312 (2017)
  • A eimeriose ovina é uma doença infecciosa causada por protozoários coccídicos do gênero Eimeria que acomete principalmente caprinos e ovinos jovens. Os oocistos deste coccídeo são frequentemente encontrados nas fezes de ovinos, permitindo desta forma, a contaminação do ambiente e reinfecção dos mesmos. Este trabalho objetivou verificar a frequência de oocistos de Eimeria spp. em fezes de ovinos pertencentes a duas propriedades rurais do município de Uberlândia, MG, além de identificar as espécies encontradas segundo seus caracteres morfométricos. Foram examinadas 100 amostras de fezes de ovinos, criados extensivamente, da raça Santa Inês, no período de março de 2009. A metodologia empregada foi a contagem de oocisto por gramas de fezes (OOPG) e promoveu-se a esporulação do coccídeo quando presente na amostra. Para identificação das espécies utilizou-se a morfometria por meio da ocular micrométrica e dados qualitativos da morfologia dos oocistos. Obtiveram-se oocistos de Eimeria em 63% dos ovinos avaliados. As espécies encontradas foram Eimeria faurei (38%) e E. ninakohlyakimovae (32%), seguidas por E. parva (12%), E. arloingi (6%), E. ovina (6%), E. intrincata (4%) e E. pallida (2%). A detecção desta endoparasitose, assim como, a identificação das diferentes espécies é essencial para que haja um controle estratégico eficiente de uma região.

    Fev. 4 - v. 5, No. 07, p. Art. 1034-1041 (2011)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões