Resultado da pesquisa

  • A elaboração deste trabalho teve o objetivo de analisar a importância do livro didático para a vida do aluno e a abordagem do tema: Entomologia nas séries de 7º ano (6ª Série) do Ensino Fundamental e 2º ano do Ensino Médio adotados pela Unidade Escolar Joaquim Parente do município de Bom Jesus – Piauí. Para realizar este trabalho foi feita análises crítica nos livros de Ciências e Biologia em relação ao tema de Entomologia. Os seguintes tópicos foram considerados quanto à análise: conteúdo teórico, recursos visuais, atividades práticas e informações complementares como quantidade de páginas e organização dos conteúdos. Verificou-se que ambos os livros apresentam bons recursos visuais. Já em relação à organização dos conteúdos, o 7º ano (6ª Série), apresenta uma organização mais clara e objetiva, pois o estudo dos insetos é separado dos outros tipos de artrópodes, o que não é feito no livro do 2º ano. Os conteúdos do 2º ano abordam de forma geral todos os artrópodes como: características gerais, diversidade, anatomia, fisiologia e reprodução dos artrópodes. Todos são feitos simultaneamente de forma comparativa. Pretende-se, com este trabalho, contribuir para o debate sobre a necessidade de um maior envolvimento dos professores no processo de escolha do livro.

    Fevereiro - v. 11, No. 02, p. 103-206 (2017)
  • Este trabalho teve como proposta, por meio dos resultados encontrados, discutir os principais impactos ambientais que os resíduos contaminantes podem causar, e procurar saber se a população acadêmica está ciente do trabalho realizado pela instituição dentro do campus CPCE. O presente trabalho foi realizado na Universidade Federal do Piauí (UFPI), Campus Professora Cinobelina Elvas/CPCE na cidade de Bom Jesus/PI. Para levantamento da coleta de dados utilizou-se entrevista com dez estudantes, três professores, sendo eles dos Cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas, Engenharia Florestal, Zootecnia e cinco funcionário do CPCE. A entrevista baseou-se por meio de questionário com abordagens diretas ao assunto. Quando questionados se o trabalho realizado pela Universidade pode proporcionar alguma mudança no campus, 100% dos entrevistados responderam “sim”. Em relação aos professores interrogados se a UFPI faz coleta de resíduos contaminantes, 66,67% das respostas foram “sim”. Já em relação aos funcionários que se dispuseram a responder o questionário, 100% respondeu “sim” para a mesma pergunta. Portanto, o trabalho discute acerca dos principais impactos ambientais causados pela deposição indevida de resíduos sólidos com potencial contaminante e aponta tambem soluções de problemas ambientais causados por resíduos perigosos com metais pesados.

    Dez. - v. 10, No. 12, p. 873-945 (2016)
  • A interação entre homens e animais pode trazer benefícios e danos. Entre os benefícios da convivência com o animal está a melhora da qualidade de vida, por meio da redução do estresse, diminuição das tensões entre membros da família e aumento da compaixão no convívio social. Por outro lado existe a possibilidade de alguns efeitos danosos como, agressões e transmissão de zoonoses aos proprietários, exigindo maior cuidado quando se trata de indivíduos imunocomprometidos. O médico veterinário é o profissional mais importante nessa interação, o qual poderá atuar e influenciar de maneira eficaz para o sucesso da mesma, dependendo de seu conhecimento sobre o assunto e de sua própria vivência como profissional. Este estudo objetivou investigar a percepção de estudantes de medicina veterinária com relação à interação entre homens e animais de estimação e o risco de se adquirir zoonoses por proprietários HIV positivos. A coleta de dados foi realizada por indivíduos treinados, que por meio de um questionário padronizado, entrevistaram 218 estudantes de veterinária, obtendo-se dados demográficos, sociais, interação com animais e riscos de zoonoses. Os dados foram duplamente digitados, medidas de controle de qualidade verificadas e estatisticamente analisados. Os resultados mostraram que 77% dos entrevistados criam animais, sendo o cão o animal preferido (77%) e 95% classificam o convívio entre homens e animais de estimação como de significativa importância. Em situação de atendimento clínico, apenas 33% declaram conversar frequentemente com os proprietários sobre zoonoses e 48,2% disseram sentirem-se confortáveis ao serem abordados sobre zoonoses por um indivíduo HIV positivo. Ainda com relação ao atendimento clínico, 35% dos entrevistados afirmaram nunca perguntarem ao proprietário se há algum indivíduo HIV positivo convivendo com o animal, 32% pergunta constantemente e 29% às vezes. Com relação ao risco de indivíduos HIV positivos adquirir zoonoses convivendo com um animal de estimação, 59% classificaram esse risco como significante e 88% permitiriam que esse indivíduo mantivesse seu animal de estimação. Foi pesquisado, ainda, a classificação de riscos para zoonoses segundo as diferentes espécies de animais. Conclui-se que é necessário maior destaque e aprofundamento de conhecimentos sobre a realidade atual de interações entre homens e animais de estimação e riscos de zoonoses entre indivíduos imunocomprometidos por parte de futuros profissionais intermediadores dessa interação.  

    Maio 3 - v. 4, No. 19, p. Art. 837-842 (2010)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões