Resultado da pesquisa

  • Os atropelamentos de animais silvestres têm recebido especial atenção dos pesquisadores nos últimos anos por se tratar da causa primária de morte em estradas. Contudo, estudos que abordem o tema ainda são escassos e, geralmente, tratam apenas de mamíferos. Diante disso, este estudo teve o objetivo de monitorar a mortalidade de animais silvestres por atropelamentos no trecho Campina Grande – Patos da BR-230 entre novembro de 2010 e novembro de 2011. Foram realizadas viagens mensais com duração média de 2h, percorrendo-se o trecho de carro. Foi comparado o número de atropelamentos no período seco e chuvoso, geral e por grupo. Os animais atropelados foram identificados até o menor nível taxonômico possível, descartando-se os animais domésticos. Foram registrados 188 espécimes de vertebrados atropelados, sendo Mammalia o mais amostrado (n=108; 57,4%). A espécie mais representativa foi Cerdocyon thous (n=87; 46,5%). O maior número de atropelamentos ocorreu no período seco. Quando comparado por grupo, porém, aves e répteis apresentaram um maior número de atropelamentos durante o período chuvoso. Cerdocyon thous, apresentou taxas de atropelamento maiores que em outros levantamentos realizados no Brasil (87 indivíduos, 46,5%), o que parece ser uma realidade local. Dentre os répteis atropelados, 70% corresponderam a espécies de serpentes, que pode estar relacionado ao deslocamento lento e necessidade de termorregulação desses animais e pelo fato de serem considerados “animais perigosos”, levando ao extermínio intencional.

    Janeiro - v. 12, No. 01, p. 139 (2018)
  • O atropelamento de animais silvestres em rodovias é uma das principais ameaças a muitas espécies da fauna brasileira. Este assunto vem sendo cada vez mais estudado por pesquisadores, que demonstram a mortalidade da fauna silvestre em função das rodovias. Entretanto, pouco se sabe a respeito da percepção dos condutores sobre o impacto do atropelamento sobre essa fauna. Este trabalho teve como objetivo avaliar a percepção dos condutores que trafegam pelo trecho da rodovia BR482, entre os municípios de Conselheiro Lafaiete e Viçosa, Minas Gerais, sobre os fatores envolvidos no atropelamento de animais silvestres. O trabalho consistiu na aplicação de um questionário contendo perguntas referentes ao atropelamento de animais silvestres. Em um trecho de 130km da rodovia, foram abordados 655 motoristas que trafegavam nesse percurso. Os resultados dos questionários foram compatíveis com estudos realizados sobre o tema, que demonstram que os condutores têm consciência das causas e perdas do impacto causado pelo atropelamento de animais silvestres. Todos os condutores abordados demonstraram-se interessados pela preservação das espécies da fauna local, mostrando-se participativos e adeptos à causa.

    Jan. 3 - v. 6, No. 03, p. Art. 1277-1282 (2012)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões