Resultado da pesquisa

  • Durante muitos anos a comercialização da carne ovina foi desorganizada, com abate de animais de baixa qualidade. Isto criou uma imagem desfavorável ao produto. À medida que este cenário muda, a carne ovina recebe mais destaque, principalmente, a de cordeiros que atende a nichos de mercado nos grandes centros urbanos. Objetivou-se com este trabalho mensurar o consumo e aceitabilidade da carne ovina na região de Londrina - Paraná, de acordo com o gênero, idade, nível de escolaridade e renda familiar das pessoas entrevistadas, assim como avaliar os parâmetros sensoriais da carne ovina segundo consumidores sem a informação da espécie animal, visando indicar ações norteadoras para a cadeia produtiva de ovinos de corte. Foram entrevistados um total de 951 habitantes e realizado um estudo de consumidores com 134 habitantes, ambos de Londrina e região, durante a Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina, no ano de 2014. Os principais motivos de não consumir a carne é a falta de costume 44,1% seguido do fato de não gostar 39,8%. O motivo pelo qual não gostam da carne é o cheiro forte do animal 44,8% seguido pelo sabor adocicado 20,2%. Quanto à aceitabilidade da amostra, 47,01% dos consumidores marcaram a carne como gosto muito, seguido por 26,87% que marcaram como gosto extremamente, apenas 2,25% dos consumidores marcaram a carne como desagradável. Observa-se que a grande barreira para aumentar o consumo da carne ovina é a falta de costume e experiências ruins que levam ao não consumo.

    Janeiro - v. 12, No. 01, p. 139 (2018)
  • O objetivo do presente estudo foi verificar a eficácia de diferentes anti-helmínticos em ovinos jovens e a variação entre machos e fêmeas. O trabalho foi realizado entre os meses de março e abril de 2015 em propriedade particular no município de Dom Pedrito – RS. As avaliações foram realizadas em 180 cordeiros (90 machos e 90 fêmeas) cruza Corriedale x Ile de France, com idade média de 10±2 meses, peso vivo (PV) de 26,00±2,0kg mantidos em pastejo intermitente com lotação fixa em 20 hectares (ha) de campo nativo. Os animais foram separados em três grupos os quais receberam princípios ativos diferentes (Closantel 10% via oral; Disofenol 30% via oral e Nitroxinil 34% via injetável). Cada grupo composto por 60 indivíduos, sendo 30 machos e 30 fêmeas. As fezes foram coletadas antes da aplicação do princípio ativo (dia zero) e após 10 dias para a quantificação dos ovos por gramas de fezes (OPG). Também, foi realizado o cultivo de larvas (coprocultura). O teste de eficácia foi verificado de acordo com a seguinte a fórmula: Eficácia (E%) = [[OPG controle dia0 – OPG tratamento dia10] / OPG dia0] x 100. Verificou-se que todas as médias de OPG estavam acima do limite máximo para dosificação (OPG > 500). A eficácia anti-helmíntica no rebanho para closantel, disofenol e nitroxinil foi de 64%, -7%, 60%, respectivamente, sendo que eficácia inferior a 90% é suficiente para pressupor a resistência dos helmintos a essas drogas. Quando observada a eficácia entre os sexos, verificou-se que todos os medicamentos foram considerados ineficazes. No entanto, vale destacar que a eficácia referente ao princípio ativo nitroxinil foi de 72% nas cordeiras e 33% nos cordeiros. A população de nematoides identificados na coprocultura do rebanho, referente ao dia 0 foram Haemonchus spp. (45%), seguido por Trichostrongylus spp. (53%) e, com menor ocorrência, Bonostomum spp. (2%). Quando realizada a identificação após tratamentos (dia 10), observou-se a presença de Haemonchus spp. (43%), Trichostrongylus spp. (56%) e Bonostomum spp. (1%). Testes de eficácia e coprocultura devem ser realizados periodicamente no rebanho com o intuito de orientar a escolha do anti-helmíntico mais adequado frente ao controle da verminose. Comprovou-se que na propriedade há resistência anti-helmíntica aos princípios ativos utilizados. Embora, fosse verificada maior eficácia nas fêmeas tratadas com Nitroxinil em comparação aos machos do mesmo grupo, ambos foram considerados ineficazes no combate à parasitose.

    Abril - v. 11, No. 04, p. 313-423 (2017)
  • O manejo do sistema de produção depende do entendimento das relações entre ingestão de alimentos e seus nutrientes, genótipo animal, produção e qualidade de carne. São descritos aqui alguns dos fatores que afetam a eficiência dos alimentos em cordeiros e a composição de tecidos em termos de carne magra, conteúdo de gordura e aspectos de qualidade de carcaça (principalmente conteúdo de gordura e produção de carne). A utilização de técnicas baseadas na análise de imagens (untrasonografia) tem recebido atenção especial e são utilizadas no desenvolvimento de modelos de regressão linear, utilizando o peso vivo e as medidas dos tecidos (espessura de gordura subcutânea, profundidade e área do músculo longissimus) como variáveis independentes.

    Jul. 2 - v. 5, No. 25, p. Art. 1157-1164 (2011)
  •  O experimento foi conduzido na Unidade Experimental de Caprinos e Ovinos (UECO), da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Campus de Itapetinga-BA, com o objetivo de avaliar os componentes do peso vivo de cordeiros da Raça Santa Inês recebendo dieta a base de silagem de capim elefante com diferentes níveis de inclusão de casca desidratada de maracujá. Foram utilizados 16 cordeiros inteiros, da raça Santa Inês, com 25 kg de peso vivo aproximadamente e mantidos em baias, distribuídos aleatoriamente aos 4 tratamentos 0%, 10%, 20% e 30% de inclusão da casca de maracujá na silagem de capim elefante. Após o período experimental os animais foram abatidos e posteriormente os componentes do peso vivo foram pesados individualmente. Foi verificado um crescimento linear significativo para o baço, gordura perirenal e mesenterica, com o aumento da inclusão da casca de maracujá.

    Jan. 4 - v. 4, No. 04, p. Art. 730-737 (2010)
  • Avaliou-se a composição tecidual de cortes comerciais de cordeiros machos e fêmeas cruza Lacaune x Texel. Foram utilizadas amostras de carne proveniente de 22 cordeiros sendo, 11 cordeiros machos não castrados e 11 fêmeas, cruza Lacaune x Texel, terminados em campo nativo melhorado e suplementados com ração comercial. O critério de abate dos cordeiros foi através da condição corporal 2,5 e 3,0 (escala 1,0 a 5,0) correspondente ao índice de engorduramento da carcaça, que é exigida pelo mercado consumidor local. Após os cordeiros serem abatidos as carcaças foram acondicionadas em câmara fria, com ar forçado, a temperatura de ±10C. Para a composição tecidual da paleta e da perna sendo realizada a dissecação para a separação dos seguintes tecidos: gordura subcutânea, gordura intermuscular, outros, músculo e osso. Através da dissecação da paleta e da perna foram obtido os pesos (em kg e %) dos tecidos, sendo que a percentagem dos componentes teciduais foram calculadas em relação ao peso da paleta e da perna. Os dados foram submetidos à análise de variância, e comparação de média, ANOVA (SAS,2001). Devido os sexos não ter apresentado diferenças relevantes nas características teciduais dos cortes, mantendo as mesmas características qualitativas da carne, machos e fêmeas provenientes deste cruzamento Lacaunex Texel submetidos ao mesmo manejo alimentar podem ser abatidos e comercializados na mesma época em uma mesma categoria comercial, sem prejuízos ao produtor.   

    Jan. 4 - v. 4, No. 04, p. Art. 730-737 (2010)
  • Objetivou-se, com este trabalho, avaliar a influência de diferentes formas físicas de rações - peletizada e farelada - sobre o ganho de peso de cordeiros em confinamento. Utilizaram-se, para isso, 23 cordeiros, com idade variando de 62 a 85 dias de idade. As rações utilizadas eram idênticas em sua composição, sendo em formas físicas diferentes, constituindo-se, assim, os tratamentos. Foi mensurado o ganho de peso semanal, em um período de 6 semanas. O tratamento causou efeito significativo sobre o ganho de peso (p<0,05) sendo favorável para os animais do grupo tratado com ração peletizada nas semanas 2, 3 e 5 após o início do tratamento, também houve diferença no ganho de peso total acumulado no período. Nas demais semanas, não foram observadas diferenças significativas para o ganho de peso. Conclui-se que o uso de ração peletizada para alimentação de ovinos em confinamento promove um maior ganho de peso vivo.

    Mar. 2 - v. 5, No. 09, p. Art. 1050-1057 (2011)
  • O presente trabalho teve como objetivo revisar os fatores que estão relacionados à produção de ovinos em sistema de confinamento, em que o cordeiro é a categorial animal que fornece carne de melhor qualidade, sendo que o peso da carcaça e suas características são influenciadas pelo peso de abate, raça, sexo, idade entre outros fatores. O consumo de alimento vai depender da aceitabilidade do animal, das condições do ambiente sobre o animal, temperaturas e a disponibilidade do alimento, buscando sempre atender as exigências dos mesmos. Deve ser verificado o peso de abate para que se obtenham carcaças de qualidade e que o excesso de gordura não afete o produto final. A escolha da raça ou grupo genético é importante para o confinamento, pois os animais devem mostrar seu potencial para produção de carne.

    Jan. 1 - v. 5, No. 01, p. Art. 992-998 (2011)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões