Resultado da pesquisa

  • A hérnia perineal resulta do enfraquecimento e separação no diafragma pélvico, promovendo deslocamento de órgãos abdominais ou pélvicos. Essa afecção pode ser influenciada por fatores como sexo, hiperplasia e cistos prostáticos, obstipação crônica, dentre outros fatores. O diagnóstico é feito por anamnese, exame físico, ultrassonografia e radiografia. O objetivo deste trabalho foi relatar o tratamento cirúrgico de hérnia perianal complicada com envolvimento de cólon e bexiga. O conjunto de manobras cirúrgicas mostrou-se uma alternativa para o tratamento de hérnia perianal.

    Setembro - v. 11, No. 09, p. 840-946 (2017)
  • A Oncologia Veterinária tem tido muita demanda, especialmente pelo aumento da longevidade dos cães e pela maior ocorrência de neoplasias em animais idosos. Foi atendida uma cadela, sem raça definida, 8 anos, apresentando massa tumoral ulcerada na região frontal da cabeça. Esta foi submetida a exames pré-operatórios. Em seguida, a exérese do tumor com ampla margem de segurança. Foi realizado exame histopatológico dos fragmentos tumorais coletados, diagnosticando-o como carcinoma de células basais.

    Agosto - v. 11, No. 08, p. 744-839 (2017)
  • Grande valia é dada à anestesia desde a sua descoberta. Fato que revolucionou diversas áreas médicas, incluindo a Medicina Veterinária. Para que a anestesia possa ser conduzida de modo adequado e satisfatório, exige-se uma avaliação prévia do paciente a ser submetido à cirurgia, como revisão ao histórico clínico, exame físico, exames complementares e por fim, uma avaliação de risco e estado físico. Sendo importante para direcionar o paciente para um protocolo anestésico condizente ao seu estado de saúde, bem como predizer o prognóstico do mesmo. Esta classificação de risco e estado físico, adotada pela Sociedade Americana de Anestesiologistas (ASA) é aceita e utilizada mundialmente por médicos humanos e veterinários, e amplamente abordada em trabalhos científicos que envolvem a anestesiologia, justificando-se assim, a grande importância da mesma, sendo o objetivo de estudo desta revisão.

    Agosto - v. 11, No. 08, p. 744-839 (2017)
  • Conforme demonstram vários estudos, a nutrição de cães hospitalizados é de extrema importância para a recuperação do paciente. Porém, infelizmente, muitas vezes esse aspecto é negligenciado na Medicina Veterinária. Assim, desenvolveu-se este trabalho com o objetivo de esclarecer a importância da implementação de suporte nutricional adequado para cães internados e sua relação com os quadros clínicos mais comumente encontrados na rotina.

    Setembro - v. 11, No. 09, p. 840-946 (2017)
  • O objetivo deste estudo foi identificar as alterações dos marcadores bioquímicos de danos hepáticos em cães naturalmente infectados por Leishmania sp. de acordo com as diferentes formas clínicas apresentadas por esses animais. Sangue de 41 cães sororreagentes nos testes de ELISA e positivos nos testes imunocromatográfico e parasitológico de linfonodo, foram colhidos por venopunção e acondicionadas em tubo sem anticoagulante para obtenção de soro e mensuração de colesterol total, triglicerídeos, ureia, fosfatase alcalina, gamma glutamiltransferase, alanina aminotransferase, proteínas totais e albumina. Realizou-se a estratificação em grupos de acordo com a sintomatologia clínica, em assintomáticos (7/41), oligossintomáticos (15/41) e sintomáticos (19/41). Hiperglobulinemia, hiperproteinemia e diminuição da razão Albumina:Globulina foram constatadas em todos os grupos com diferença estatística significativa para albumina (2,87 ±0,45 g/dL). Colesterol, fosfatase alcalina, alanina aminotransferase e gamma glutamiltransferase permaneceram dentro dos intervalos de normalidade. As alterações encontradas nos marcadores bioquímicos de danos hepáticos sugerem que a leishmaniose visceral deve ser incluída no diagnóstico diferencial das hepatopatias, principalmente, nas áreas endêmicas para a enfermidade.

    Julho - v. 11, No. 07, p. 646-743 (2017)
  • Com o objetivo de determinar a frequência de endoparasitos em cães e gatos, foi realizado um levantamento dos resultados de exames coproparasitológicos, executados na rotina de um Laboratório Veterinário em São Luís – MA, no período de Julho de 2012 a Julho de 2015. Nesse período foram realizados 780 exames, sendo 92% de cães e 8% de gatos. Deste total, 23% das amostras foram positivas para pelo menos um parasito. Ancylostoma sp. foi o gênero mais frequente em ambas as espécies com 48% dos cães e 63% dos gatos parasitados. Quanto à infecção, 80% dos cães e 86% dos gatos apresentaram infecção única, enquanto que 20% dos cães e 14% dos gatos apresentaram infecção múltipla. Esses resultados revelam uma incidência expressiva, o que representa elevados riscos não só aos animais como também na saúde humana e tal fato reforça a necessidade de implementar medidas efetivas no sentido de reduzir a carga parasitária dos animais e minimizar os riscos de infecção humana.

    Junho - v. 11, No. 06, p. 538-645 (2017)
  • As neoplasias cutâneas são as mais frequentemente encontradas e diagnósticadas em pequenos animais, representando cerca de 30% dos tumores em cães com cerca de 70-80% de benignidade nessa espécie. O Lipoma, por sua vez, é considerado uma neoplasia mesenquimal comum benigna originada dos adipócitos ou células gordurosas subcutâneos e ocasionalmente dérmicos. O seu diagnóstico é realizado por meio da observação dos sinais clínicos e exames complementares (hemograma, bioquímica sérica, exames de imagem, e exames de cito e histopatológico). O tratamento cirúrgico por meio da excisão tumoral é um tratamento de eleição, podendo ser associada com radioterapia adjuvante, caso a excisão seja incompleta. O prognóstico para esse tipo de neoplasia pode ser considerado favorável para os lipomas bem circunscritos, sendo reservado para os tumores infiltrativos visto que o percentual de recidivas é alto podendo causar a destruição de tecidos adjacentes. Com base nisso o referido trabalho tem como objetivo relatar o caso clínico de um canino, fêmea, 10 anos de iade, 5,05 kg, Pinscher acometida por um lipoma situado na região cervical esquerda abrangendo a região peri-auricular do mesmo antímero atendido no Hospital Veterinário Unversitário da Universidade Federal do Piauí-UFPI.

    Abril - v. 11, No. 04, p. 313-423 (2017)
  • O melanoma oral é uma neoplasia de pele e tecido subcutâneo de ocorrência comum em cães, o mesmo possui comportamento maligno e é originado a partir dos melanócitos. O diagnóstico é realizado por meio da observação dos sinais clínicos e exame histopatológico. Há vários métodos de tratamento, como extirpação cirúrgica, crioterapia, quimioterapia e radioterapia, contudo, o prognóstico é ruim devido à alta reincidiva e poder metastático. No referido trabalho é relatado um caso de melanoma metastático em um cão, com a presença de uma massa tumoral na cavidade oral, ulcerada e enegrecido, com deformidade aparente da face. Por fim, optou-se pela eutanásia do animal devido ao estado avançado da doença.

    Abril - v. 11, No. 04, p. 313-423 (2017)
  •  O tumor venéreo transmissível (TVT) é uma enfermidade que se apresenta principalmente relacionado ao aparelho genital externo de machos e fêmeas, porém é encontrado na forma extragenital no aparelho respiratório e tecido subcutâneo. Sua transmissão ocorre quando células tumorais e/ou neoplásicas são implantadas mecanicamente, através de montas naturais e também por lambedura excessiva da área genital, podendo ocasionar lesões em nariz, boca, cavidade oral e até mesmo na pele. É um dos tumores de maior incidência na espécie canina, apresentando uma predominância maior em animais jovens, errantes, e sexualmente ativos. No tratamento do TVTC ficam preconizadas a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia. O prognóstico para a remissão total do tumor é bom, a menos que se encontre presente um envolvimento metastático do Sistema Nervoso Central (SNC) ou dos olhos.

    Abril - v. 11, No. 04, p. 313-423 (2017)
  • A distocia secundária ao gigantismo fetal constitui um achado relativamente raro em medicina veterinária de pequenos animais, com poucos casos relatados na literatura. O parto distócico ocorre quando não há uma expulsão bem sucedida do feto e acomete 5% de fêmeas gestantes, principalmente de raças pequenas e braquicefálicas. Esta pode ocorrer por vários motivos que podem estar relacionados à mãe, ao feto, ou a ambos. O diagnóstico é baseado em sinais clínicos, radiografia e ultrassonografia. Dependendo da condição clínica, o tratamento pode ser feito através de manobras obstétricas manuais ou por técnicas cirúrgicas. O tratamento cirúrgico deve ser instituído com urgência, pois o atraso do mesmo pode desencadear choque por obstrução da grande circulação e endotoxemia. O objetivo desse trabalho foi relatar um caso de uma cadela da raça pinsher, de 5 anos de idade, com gestação de aproximadamente 62 dias que ao ser encaminhada a Policlínica Veterinária Metropolitana, Caucaia - Ceará (HVM), apresentando dificuldade de parição há 48 horas e anúria. A ooforo-salpingo-histerectomia demonstrou ser uma escolha viável como tratamento cirúrgico em casos de distocia secundária ao gigantismo fetal.

    Janeiro - v. 11, No. 01, p. 1-102 (2017)
  • No período de formação do sistema nervoso fetal podem ocorrer falhas, levando a problemas após o nascimento, como a persistência da fontanela, a qual é decorrente da não calcificação das suturas cranianas. A hidrocefalia é um tipo de alteração congênita causada pela inadequada circulação do líquido cefalorraquidiano que ao acumular-se promove aumento do volume e consequente dilatação dos ventrículos cerebrais. Pode ser congênita ou adquirida, e as raças mais predispostas de cães são aquelas de pequeno porte. Dentre os sinais clínicos mais comuns da hidrocefalia estão as deformidades no crânio, na órbita ocular, ou o aumento da pressão no tegumento mesencefálico, depressão, apatia, delírio, cegueira, ataxia, demência, agressividade, irritação, dificuldade de adestramento e aprendizagem, andar em círculos e convulsões. A anamnese do animal deve ser realizada adequadamente, seguida pelo exame clínico e neurológico, podendo ser necessária a solicitação de exames laboratoriais e de imagem para se fechar o diagnóstico da hidrocefalia. Exames de imagem como ultrassonografia encefálica, tomografia computadorizada e ressonância magnética vêm proporcionando, atualmente, um melhor suporte como meios diagnósticos. Dentre os fármacos utilizados na terapêutica clássica estão: corticosteróides, diuréticos e agentes osmóticos, os quais atuarão diminuindo o edema cerebral e, por conseguinte, a pressão intracraniana. Pacientes que tiverem episódios convulsivos precisam receber terapêutica específica. Dependendo do caso, o tratamento à base de medicamentos é eficiente, porém, para um melhor controle dos sintomas, algumas vezes, indica-se a cirurgia de desvio ventrículo-peritoneal. Relata-se um caso de um canino Poodle, 11 anos de idade, fêmea, que após ter sofrido trauma craniano e realizado exame tomográfico, foi diagnosticada com hidrocefalia congênita e fontanelas persistentes em região frontal e bilateralmente, entre os ossos parietal e temporal. A paciente foi tratada com terapia clássica, utilizando-se corticóides (dexametasona e prednisona) e diuréticos (manitol e furosemida), obtendo-se sucesso na recuperação.

    Janeiro - v. 11, No. 01, p. 1-102 (2017)
  • O CD44 é uma molécula de adesão, multifuncional pertencente à família de glicoproteínas transmembranas e está intimamente relacionada com a progressão tumoral. Este trabalho teve como objetivos: avaliar a imunomarcação de CD44 nas neoplasias mamárias malignas da cadela, com e sem metástase em linfonodos regionais; associá-la como fator prognóstico na detecção precoce de metástase; relacioná-la com a imunomarcação de MMP-9, E-caderina e VEGF. Compuseram os grupos experimentais, cadelas com tumor mamário, com (Grupo M) ou sem metástase (Grupo N) detectável em linfonodos. As neoplasias mamárias foram classificadas de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Para isso utilizou-se a técnica de imuno-histoquímica, em amostras incluídas em parafina. Para a determinação da porcentagem de imunomarcação considerou-se somente as células epiteliais neoplásicas. Para o anticorpo CD44 contou-se as marcações em linfócitos T nos linfonodos dos dois grupos. As marcações em linfócitos T foram maiores no grupo N e menores no grupo M. Observou-se aumento significativo na marcação do CD44 do sítio primário do tumor (células epiteliais neoplásicas) para a metástase, assim como nas marcações de MMP-9 e E-caderina. Concluiu-se que o CD44 pode atuar em conjunto com outras moléculas, tais como a MMP-9 e a E-caderina. Propõe-se que a detecção precoce de micrometástase seja feita em linfócitos T nos linfonodos drenantes das neoplasias mamárias malignas de cadelas.

    Mar. 1 - v. 6, No. 08, p. Art. 1307-1312 (2012)
  • A compreensão dos estudos na área da oncologia é de fundamental importância para a descoberta de sua etiologia, classificações e formas de tratamento, uma vez que o número de pacientes atendidos com alguma neoplasia cresce a cada década. A predisposição genética e a exposição a fatores físicos e químicos favorecem o desenvolvimento de neoplasias nos animais sendo que a pele e seus anexos são locais muito comuns de desenvolverem neoformações, principalmente em países de clima tropical, pela exposição crônica à radiação ultravioleta. O carcinoma de células escamosas é uma neoplasia de epitélio, maligno, de crescimento lento e não necessariamente metastático comum em felinos, bovinos, caninos, eqüinos, relativamente incomum em ovinos e raro em caprinos e suínos. Sua etiologia precisa ainda não é conhecida e a causa exógena mais comumente aceita é a exposição à luz ultravioleta, com conseqüente lesão do ácido desoxirribonucléico (DNA) e mutagenicidade associada. O prognóstico varia de acordo com a localização e o estágio clínico no momento do diagnóstico. É considerado favorável quando o diagnóstico é realizado precocemente e também quando a excisão cirúrgica completa é possível, porém, quando houver lesões que envolvam estruturas ósseas, o prognóstico passa a ser reservado. A presente revisão bibliográfica tem como objetivo principal reunir informações atuais sobre o carcinoma de células escamosas em caninos e felinos, do ponto de vista clínico e patológico, a fim de facilitar o raciocínio sobre esta neoplasia, desde sua abordagem inicial, até seu diagnóstico final.

    Fev. 3 - v. 6, No. 06, p. Art. 1295-1300 (2012)
  • O objetivo desse estudo foi avaliar aspectos epidemiológicos da cinomose canina em animais atendidos no Hospital Veterinário da Universidade Estadual do Maranhão. Foi feito levantamento de dados de 10200 fichas clínicas de cães atendidos no período de janeiro de 2011 a dezembro de 2013, à procura de casos suspeitos e confirmados. 461 animais foram diagnosticados com a doença e 202 foram considerados suspeitos, em um total de 663 casos de cinomose. O percentual de machos afetados foi de 53,4% e de fêmeas, 46,6%. Com relação à idade, a faixa etária mais afetada foi entre 0-5 anos, totalizando 89,59%, e a menos afetada entre 11 a 17 anos (2,26%). Quanto à raça, as mais predominantes foram os animais sem raça definida (65,5%), Poodle (12,5%), Pinscher (8,75%) e Pitbull (2,9%). A doença ocorreu em todos os meses do ano, com maior prevalência entre os meses de julho a setembro e menor prevalência em abril e dezembro. Houve uma alta prevalência de cinomose canina em comparação ao número de cães atendidos no hospital veterinário, o que sustenta a importância da aplicação de medidas de prevenção e controle da doença.

    Jul. - v. 10, No. 07, p. 513 - 579 (2016)
  • A ocorrência de cálculo biliar em cães é rara, consistindo, geralmente, em achados acidentais. Os animais acometidos apresentam sinais clínicos inespecíficos ou mesmo podem ser assintomáticos. Todavia, dependendo da localização do cálculo, pode ocorrer obstrução total do fluxo biliar, e causar ruptura de vesícula ou ductos biliares. Os exames de imagem, como radiografia e/ou ultrassonografia abdominal, e sua correta interpretação são fundamentais para avaliação do sistema biliar. Objetivou-se com a presente revisão uma descrição das imagens radiográficas e ultrassonográficas características da colelitíase e coledocolitíase em cães.

    Ago. - v. 10, No. 08, p. 580-635 (2016)
  • O nematódeo Spirocerca lupi é um parasito que poder levar a formação de aneurisma aórtico, patologia rara em cães. Com distribuição mundial ocorre principalmente em regiões de clima tropical e subtropical. Relatou-se um caso de uma cadela dobermann da área urbana do município de Uberlândia, MG, de dois anos de idade, com histórico de hiporexia, ânsia de vômito e apatia, atendida no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). O animal foi a óbito antes mesmo do estabelecimento do diagnóstico definitivo e ao ser encaminhado ao Laboratório de Patologia Animal da UFU para necropsia observou-se a ruptura de um aneurisma localizado na aorta torácica decorrente do parasitismo por Spirocerca lupi.

    Set. 4 - v. 4, No. 32, p. Art. 924-930 (2010)
  • As infecções do trato urinário (ITU) usualmente ocorrem quando há uma falha temporária ou permanente nos mecanismos de defesa do hospedeiro e suficiente número principalmente de bactérias que se multiplicam e persistem numa porção do trato urinário. Foram coletadas 26 amostras de urina obtidas por cistocentese em cães com sinais clínicos de ITU, no ano de 2010, no Centro de Controle de Zoonoses e no Hospital Veterinário da Fesurv, situados no município de Rio Verde-GO, com objetivo de estabelecer o índice de ITU, os agentes etiológicos e o antibiograma. Todas as amostras foram submetidas à urinálise e também à urocultura. Houve bacteriúria em 16 urinálises e apenas quatro amostras com cultura positiva. A identificação das bactérias foi realizada por métodos bioquímicos tradicionais e o antibiograma pelo método de disco-difusão. Houve maior frequência de ITU em fêmeas. As bactérias Gram-negativas isoladasforam Citrobacter sp e Klebsiella sp. E dentre as Gram-positivas, Staphylococcus aureus, S. saprophyticus e S. epidermides foram as mais prevalentes. Os antibióticos nitrofurantoina, tetraciclina, cefalotina, clorafenicol, norfloxacino, eritromicina e enrofloxacino se mostraram eficientes no tratamento das bactérias Gram-positivas e somente cefalotina e enrofloxacino no tratamento das Gram-negativas. Os resultados reforçam a necessidade do conhecimento do perfil de suscetibilidade antimicrobiana das bactérias causadoras de ITU, para evitar o uso incorreto de antibióticos.

    Jul. 3 - v. 5, No. 26, p. Art. 11765-1170 (2011)
  • Tricobezoar é um corpo estranho gastroenterico, geralmente formado por pêlos, localizado na maioria das vezes no estômago. A alotriofagia, ou perversão do apetite, é caracterizada pela ingestão de outras substâncias que não o alimento normal e varia do hábito de lambedura e mordedura à ingestão de objetos e utensílios domésticos.  Relata-se neste trabalho o caso de uma cadela poodle, dois anos de idade, a qual foi atendida no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia. O animal apresentava hiporexia, vômitos recorrentes, dor abdominal á palpação, atividade motora aumentada, ansiedade e hábito de lamber o chão compulsivamente ingerindo sujidades. No exame radiográfico foi identificado corpo estranho no lúmen gástrico. O paciente foi encaminhado ao setor de cirurgia para realização da gastrotomia e posterior remoção do tricobezoar. Foi instituído tratamento terapêutico a base de fluoxetina e indicou-se terapia comportamental para o animal, afim de, evitar recidivas do corpo estranho e controlar o transtorno compulsivo.

    Jan. 4 - v. 4, No. 04, p. Art. 730-737 (2010)
  • A brucelose nos cães é uma importante zoonose responsável por falhas reprodutivas. Com o objetivo de investigar a ocorrência de anticorpos contra Brucella canis e Brucella abortus no município de Uberlândia e relacioná-las as variáveis sexo e idade, foram analisadas 175 amostras de soros sanguíneos de cães. A identificação dos animais reagentes foi feita por meio da Imunodifusão em Gel de Agar (IDGA) e o Antígeno Acidificado Tamponado (AAT), para Brucella canis e Brucella abortus, respectivamente. Realizou-se o teste confirmatório de 2-Mercaptoetanol (ME) e Soroaglutinação em Tubos (SAT) nas amostras reagentes ao AAT. Não houve amostras reagentes para Brucella canis e a ocorrência de Brucella abortus foi de 1,71%. Não houve diferença estatística significativa (p<0,05) entre as variáveis, sexo e idade, associadas à infecção. Estes resultados demonstraram a ocorrência de Brucella abortus em cães oriundos do município de Uberlândia, MG. A ocorrência de Brucella abortus em cães foi motivo de surpresa e preocupação, principalmente quando se considera o íntimo contato entre o cão e o ser humano.

    Jan. 4 - v. 4, No. 04, p. Art. 730-737 (2010)
  • A colonoscopia é uma ferramenta diagnóstica indispensável na avaliação da diarreia crônica quando outros métodos falham na detecção de sua etiologia. Dada à conformação anatômica do cólon dos carnívoros este exame pode ser realizado por meio de duas técnicas. O uso de um colonoscópio rígido (retosigmoidoscópio humano) gerou o termo colonoscopia rígida em contraste com o uso de endoscópios flexíveis. A maior parte das doenças colônicas apresenta um caráter difuso sendo detectáveis pelo aparelho rígido, capaz de alcançar todo o cólon descendente até sua junção como o transverso. Quando comparados os métodos, a colonoscopia rígida mostra-se de menor custo e de realização mais simples e rápida, embora não permita a visualização de todo o cólon possibilitando que doenças focais passem despercebidas. Este trabalho descreve os achados colonoscópicos e histopatológicos em quinze cães com diarreia que foram submetidos ao exame de colonoscopia rígida.

    Jan. 1 - v. 6, No. 01, p. Art. 1264-1269 (2012)

Idioma

Conteúdo da revista

Edicões