v. 11 No. 11 p. 1074-1187 (2017) >>

Eletroforese urinária do cão séptico: Revisão

  • Eletroforese urinária do cão séptico: Revisão

    Breno Curty Barbosa, Luiz Eduardo de Souza Tassini, Dayse Helena Lages Silva, Daniela Bastos de Souza Karam Rosa, Fellipe Ferreira Nogueira, Paulo Ricardo de Oliveira Paes, Fabíola Oliveira Paes Leme

    Resumo

    Os quadros sépticos são constantes na rotina do setor de terapia intensiva, sendo a injúria renal aguda a principal disfunção orgânica observada nesses pacientes, contribuindo para a alta taxa de mortalidade. O diagnóstico precoce de lesão renal nesses quadros é de fundamental importância e contribui de forma positiva ao prognóstico. Os métodos diagnósticos da lesão renal, entretanto ainda são restritos. A eletroforese permite separar proteínas de baixo peso molecular na urina, podendo representar um marcador precoce de lesão associado com um direcionamento da terapêutica adotada.

    Palavras-chave

    cão , eletroforese urinária , sepse

    Texto completo:

Novembro

Idioma

Conteúdo da revista