v. 11 No. 8 p. 744-839 (2017) >>

Influência da cor do pelame nos parâmetros fisiológicos e comportamentais de ovelhas da raça Santa Inês ao sol e à sombra

  • Influência da cor do pelame nos parâmetros fisiológicos e comportamentais de ovelhas da raça Santa Inês ao sol e à sombra

    Lorena Oliveira Lima, Roberta de Moura Assis Lima, Ana Luisa Aguiar de Castro, Fernando José dos Santos Dias, Marcia Dias

    Resumo

    O objetivo dessa revisão de literatura foi descrever os parâmetros fisiológicos e comportamentais de ovelhas da raça Santa Inês de diferentes colorações de pelagens, criadas em ambientes com ou sem sombreamento. Os autores citados observaram parâmetros fisiológicos como temperatura retal, frequência respiratória, frequência cardíaca, atividades comportamentais, bem como a coloração do pelame. Houve consenso entre os diversos autores quanto ao efeito do período do dia, sobre a temperatura retal e frequência cardíaca dos animais, que se mostraram significativamente maiores no período da tarde do que do período da manhã. O turno da tarde apresentou condições de elevado estresse calórico, estando estes animais em situação de perigo, em relação ao índice de conforto térmico. Com relação à coloração do pelame, os aninais de pelame escuro apresentaram maior frequência respiratória do que os de pelame claro, podendo significar que estes animais não foram capazes de dissipar todo o calor necessário para manter sua temperatura corporal dentro do limite basal médio 39,1°C. Os animais mantidos ao sol dedicaram menor tempo diário à alimentação, realizando atividades que demandam menor movimentação, como ruminação e ócio, em relação aos animais mantidos em ambiente sombreado, onde a maior parte do tempo foi destinada às atividades de pastejo, que alcançaram ganho de peso com maior facilidade no mesmo período de tempo. Desta forma, o sombreamento artificial ou natural proporciona o conforto térmico, elevando o desempenho de produção, e apresentando o potencial da aptidão do animal, mantendo a temperatura corporal, temperatura retal, batimentos cardíacos e frequência respiratória a níveis normais, não despendendo de esforço para isso.

    Palavras-chave

    estresse térmico , ovinos , pequenos ruminantes , sombreamento

    Texto completo:

Agosto

Idioma

Conteúdo da revista