v. 11 No. 06 p. 538-645 (2017) >>

Parâmetros ultrassonográficos e clínicos em caso de lipidose hepática felina: Relato de caso

  • Parâmetros ultrassonográficos e clínicos em caso de lipidose hepática felina: Relato de caso

    Érika Souza Vieira, Otávia Augusta de Mello, Matheus Batista de Oliveira

    Resumo

    A lipidose hepática felina é uma das hepatopatias mais comuns e potencialmente fatal que acomete gatos domésticos. Na maioria das vezes afeta gatos privados de alimento ou que passaram por períodos prolongados de anorexia. É um processo patológico que atinge gatos adultos, podendo estar associado a colangiohepatite, obstruções biliares ou neoplasia intra-hepática ou apresentar caráter idiopático. Normalmente, os ácidos graxos que circulam no fígado são captados e metabolizados para produzir energia ou se convertem em triglicérides e são segregados de novo para a circulação. A doença pode se apresentar como resultado de uma desordem na oxidação dos ácidos graxos pelos hepatócitos, ou da incapacidade do fígado para segregar as lipoproteínas encarregadas de transportar as triglicérides através da corrente sanguínea. A doença é bastante comum, e tende a afetar gatos obesos. A anorexia prolongada pode causar acúmulo significativo de gordura no fígado e o aparecimento das manifestações clínicas. Qualquer que seja a causa metabólica da lipidose hepática, a recuperação do animal requer diagnóstico precoce, início imediato da terapia sintomática e sonda de alimentação para suporte nutricional

    Palavras-chave

    anorexia , hepatócitos , triglicérides , obesidade

    Texto completo:

Junho

Idioma

Conteúdo da revista