v. 11 No. 2 p. 103-206 (2017) >>

Estabilidade oxidativa e qualidade de bifinhos para cães formulados com antioxidante natural

  • Estabilidade oxidativa e qualidade de bifinhos para cães formulados com antioxidante natural

    Alessandra Aparecida Silva, Steffane Ariane Pena, Fernanda Gomes de Assis, Natália Montefoglia, Leandro Dalcin Castilha, Sheila Tavares Nascimento, Ricardo Souza Vasconcellos

    Resumo

    Foram fabricados 320 bifinhos para cães (snacks semiúmidos), formulados com a mesma composição de ingredientes (farinhas animais, batata desidratada, conservantes e aditivos), com exceção do aditivo antioxidante, que consistiu nos tratamentos avaliados: bifinho com antioxidante natural (BAN); bifinho com antioxidante sintético (BAS) e formulação comercial (PADRÃO). O antioxidante natural foi composto à base de tocoferol (90 g/kg), óleo de alecrim (30 g/kg) e ácido cítrico (20 g/kg), enquanto o antioxidante sintético foi composto por BHA (220 g/kg) e BHT (210 g/kg). Uma alíquota de 160 bifinhos foi submetida à estufa a 60ºC, por um período de 10 dias consecutivos, enquanto os outros 160 foram embalados em embalagem metálica e armazenados por igual período em temperatura ambiente, sem a presença de luz. As análises realizadas no laboratório foram: matéria seca, umidade, pH, coloração (componentes L*, a* e b*), acidez e oxidação lipídica através da determinação das Substâncias Reativas ao Ácido Tiobarbitúrico (TBARS). Houve diferenças (P<0,05) entre os valores médios de TBARS para os diferentes antioxidantes empregados, em que os bifinhos PADRÃO apresentaram melhor estabilidade oxidativa em relação ao BAS e ao BAN, respectivamente. Quando submetidos à estufa, os bifinhos tiveram menor valor médio (P<0,05) de pH, L* (mais escuros), maior acidez e TBARS (maior oxidação) comparação com aqueles não submetidos ao aquecimento. Houve interação (P<0,05) entre as formulações de bifinhos utilizadas (BAN, BAS e PADRÃO) e o tratamento com e sem estufa, em que o tratamento BAS apresentou maior valor de a* quando submetido à estufa. Com relação ao valor de b*, todos os tratamentos aquecidos em estufa apresentaram valores inferiores (P<0,05) aos não aquecidos. A estabilidade oxidativa dos bifinhos formulados com antioxidante natural na dosagem testada foi menor, em comparação com as demais formulações. Por outro lado, os outros parâmetros de qualidade como o pH, luminosidade, umidade e acidez destes bifinhos foi pouco afetada. De forma geral, o aquecimento prolongado dos bifinhos em estufa afetou negativamente todos os parâmetros de qualidade, com exceção da umidade.

    Palavras-chave

    Alimentação animal , animal de companhia , oxidação , vida de prateleira

    Texto completo:

Fevereiro

Idioma

Conteúdo da revista