v. 11 No. 01 p. 1-102 (2017) >>

Carcinoma de células de transição de bexiga em cão: Relato de caso

  • Carcinoma de células de transição de bexiga em cão: Relato de caso

    Sara Almeida Telles, Rodrigo Casemiro Pinto Monteiro, Fábio Miguéis Corrêa, Paula Zagato Urbani Calvo, Ana Paula Lopes de Moraes Oliveira

    Resumo

    O carcinoma de células de transição (CCT) é a neoplasia de bexiga mais comum no cão, sendo mais frequente em cães idosos e no gênero feminino, compreendendo cerca de 75-90% dos tumores epiteliais de bexiga. O local mais comumente observado é no trígono vesical, e por isso o tratamento cirúrgico é paliativo. A sua etiologia pode ser considerada multifatorial e os sinais clínicos são hematúria, polaquiúria e disúria, os quais são típicos de infecção urinária, sendo assim, podendo ser confundidos. O diagnóstico só pode ser considerado definitivo após o resultado da análise histopatológica, entretanto através de exames de ultrassonografia, por exemplo, as neoplasias são uma suspeita. O prognóstico é ruim, onde essa neoplasia é considerada com um baixo potencial de cura e alto índice de mortalidade, e assim despertando interesse demasiado em encontrar possíveis tipos de prevenção, diagnóstico precoce e novos tratamentos. O presente trabalho teve como objetivo relatar um caso de um cão com CCT, expondo a forma de diagnóstico definitivo, que foi por exame histopatológico após cistectomia parcial de bexiga, e o tratamento do mesmo através de sessões de quimioterapia com carboplatina associado ao uso contínuo de piroxicam. Infelizmente após duas sessões o proprietário do animal se ausentou, impossibilitando uma continuidade no tratamento.

    Palavras-chave

    Bexiga , cães , carcinoma

    Texto completo:

Janeiro

Idioma

Conteúdo da revista