v. 11 No. 01 p. 1-102 (2017) >>

Alterações laboratoriais renais em cães com leishmaniose visceral naturalmente infectados

  • Alterações laboratoriais renais em cães com leishmaniose visceral naturalmente infectados

    Cauê Soares Câmara, Pollyana Irene Baltazar, Bruno Spíndola Garcez

    Resumo

    A Leishmaniose Visceral Canina (LVC) é uma zoonose de grande relevância no Brasil acarretando na maioria da vezes uma doença renal que pode ser a única manifestação em cães com LVC, podendo progredir até o estágio de falência renal. Foram utilizados 12 cães, sem raça definida (SRD), machos divididos em 2 grupos. Com o primeiro formado por cães com sorologia e parasitologia negativas para LVC e o segundo, positivos. Foram coletadas amostras de sangue dos animais selecionados para análise bioquímica de uréia, creatinina, proteína total e globulina, além de amostras de urina para realização da urinálise. Hiperproteinemia com hiperglobulinemia, bem como a presença marcante de albumina na urina foram achados relevantes nos cães positivos. Foi verificado significativo nos valores de uréia e creatinina, como também, na concentração de proteína da urina dos animais positivos. As alterações bioquímicas observadas mostraram concordância com os resultados encontrados na literatura, Demonstrando que em pacientes positivos para LVC a disfunção renal é de grande importância para auxiliar no estadiamento clínico.

    Palavras-chave

    azotemia , disfunção renal , leishmaniose

    Texto completo:

Janeiro

Idioma

Conteúdo da revista